Mais Acessadas

Trio é morto em apartamento

Dois homens e uma mulher são crivados de balas em Santa Izabel. A polícia suspeita de acerto de contas.


Em 28 de janeiro, 2016 - 01h30 - Polícia

Três pessoas foram assassinadas a tiros dentro de um apartamento, anteontem à noite, no município de Santa Izabel do Pará, nordeste do Estado. As vítimas - dois homens e uma mulher - foram baleadas várias vezes com arma de calibre ponto 40 e há indícios de que integrassem uma quadrilha especializada em roubos a bancos. Dois homens numa moto foram vistos na cena do crime e fugiram logo em seguida. O imóvel foi totalmente revirado, como se os assassinos estivessem procurando por algo. Isso leva a Polícia Civil à linha de investigação de acerto de contas. Dois suspeitos já foram identificados.

Os dois homens na moto chegaram ao bairro Santa Lúcia, num conjunto de prédios conhecido como “Carandiru”, com acesso pela rodovia PA-140, entre 20h e 21h. Uma das vítimas, Ivaneide Tavares de Azevedo, de 35 anos, morava no último bloco, em um apartamento no segundo andar. Testemunhas disseram que ela estava na frente do bloco (no térreo) conversando com o companheiro, identificado apenas pelo prenome Cristiano, e com um homem identificado como “Zé Pequeno”, as outras duas vítimas. Os dois criminosos já chegaram atirando.

Ivaneide, Cristiano e “Zé Pequeno” correram para dentro do apartamento e foram perseguidos pelos dois atiradores. “Encontramos farta munição ponto 40. Só a Ivaneide foi morta com cinco tiros na cabeça. Havia marcas de tiro por todo o apartamento, que ficou revirado. Entraram para matar e encontrar algo. Deve ter ocorrido alguma desavença na facção e estamos investigando. A solução desse caso ainda poderá levar à prisão dos demais membros da quadrilha”, explicou o delegado Paulo Henrique Ribeiro Júnior, da delegacia de Santa Izabel.

Inicialmente, apenas os corpos de Ivaneide e de “Zé Pequeno” foram encontrados pelas poucas pessoas que correram para tentar ajudar depois que os assassinos fugiram. A mulher foi morta no sofá e “Zé Pequeno” foi executado no quarto. O filho de Ivaneide, que preferiu não ter o nome divulgado, chegou a comentar que Cristiano havia conseguido escapar. “O namorado dela também estava com eles, mas fugiu”, disse. Nem mesmo os peritos criminais tinham conhecimento do terceiro corpo.

Peritos se surpreendem com cadáver debaixo da cama

 Depois de a perícia no local de crime ter sido feita nos corpos da mulher e do amigo, os peritos fizeram uma revista pelo apartamento e acabaram encontrando o terceiro morto, que estava debaixo da cama. Ele foi identificado como Cristiano e a informação chocou todos os moradores do “Carandiru”. “Jamais pensamos que poderia acontecer isso, três pessoas assassinadas dessa maneira cruel”, disse um dos moradores do conjunto, que preferiu manter a identidade em sigilo. 

O filho de Ivaneide contou que estava com ela momentos antes do ataque. “Eu tive que sair e depois só recebi a notícia. Então não sei bem como tudo aconteceu”, afirmou. Ele também não soube dizer o que pode ter motivado o triplo homicídio.

No local era possível ver as marcas da violência. O vidro da porta de entrada do bloco quebrou com um projétil e marcas de bala também eram vistas na parede acima das escadas de acesso ao segundo andar. De acordo com informações preliminares, os bandidos usaram duas pistolas para executar as vítimas.

Triplo homicídio pode ser resultado de uma vingança

 De acordo com o sargento Siqueira, fiscal interativo do 12º Batalhão da Polícia Militar (BPM), a dupla de matadores não havia sido encontrada até o fechamento desta edição. “Fomos acionados por mototaxistas e quando chegamos aqui não havia mais nada a fazer pelas vítimas, que já estavam sem vida. Os acusados escaparam e ainda não foram localizados”, explicou.

Ainda no local do crime surgiram denúncias de que Cristiano era envolvido com assaltos e integrava uma quadrilha que planejava fazer um roubo nos próximos dias. Entretanto, uma parte da quadrilha soube que Cristiano e outros comparsas já tinham feito o assalto e então resolveu ir atrás do parceiro para se vingar. A mulher supostamente foi morta apenas por estar no local junto com o alvo. Não se sabe de “Zé Pequeno” também era alvo dos assassinos.

Moradores do “Carandiru” contaram que o conjunto de prédios estava sendo construído pelo governo federal por meio de convênio com a Caixa, com todos os apartamentos destinados a pessoas de baixa renda. Entretanto, as obras estão paradas há mais de dois anos. Por causa do abandono, os apartamentos foram invadidos há aproximadamente cinco meses.

Leia a matéria completa no Amazônia, já nas bancas.