Mais Acessadas

Remo anuncia desistência da luta jurídica para voltar à C

Clube passa a focar exclusivamente no planejamento para a temporada de 2017


Por: Redação ORM News Em 10 de outubro, 2016 - 17h05 - Série C

Foto: Cesar Perrari

A Série C do campeonato brasileiro de 2016 virou assunto consumado no Clube do Remo. Foi anunciada, em nota oficial na tarde desta segunda-feira (10), a desistência do Leão na luta jurídica para tentar retornar à competição através de uma denúncia de irregularidade no Botafogo da Paraíba.

Ainda na nota, o clube explica que, desta forma, passará a focar todas as suas atenções no planejamento da temporada de 2017, quando haverá a nova oportunidade azulina de disputar o acesso à Série B do campeonato brasileiro. Veja abaixo!

'O Clube do Remo informa que, após o arquivamento pelo Procurador do STJD da notícia de infração de uma suposta irregularidade do  atleta Sapé do Botafogo-PB, desistiu de recorrer ao Procurador Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Sendo assim, o Clube foca suas atenções totais ao trabalho de planejamento visando a temporada de 2017. Trabalho este que vem sendo realizado desde o término da primeira fase da Série C.'

O caso - Remo e América de Natal empataram em 0 a 0, diante de mais de 33 mil pessoas no Mangueirão, e viram o resultado eliminar o Leão da competição e rebaixar o Mecão à Série D do ano que vem. Após a partida, o presidente do clube potiguar, Bento Santos, recebeu a informação do amigo e presidente do ASA, Bruno Euclides, acerca de uma provável irregularidade do Botafogo da Paraíba. Tal problemática poderia rebaixar o Belo e, desta forma, salvar o América e ainda classificar os remistas.

Os presidentes de Remo e América foram ao Rio de Janeiro e impetraram 'notícia de infração' junto à Produradoria Geral do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) alegando que o contrato do volante Jardson Sapé, do Botafogo, teria sido assinado por procuração por uma pessoa não credenciada à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para tal função. Após análise da Procuradoria, o caso foi arquivado e, portanto, nem mesmo chegou a ser levado a julgamento.