Mais Acessadas

Procon mira em telefonia móvel

Usuários engrossam lista de reclamação contra operadoras


Em 18 de setembro, 2014 - 01h01 - Gerais

O número de reclamações contra as operadoras de telefonia móvel aumentou 30% no Pará, conforme a Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PA). O balanço parcial considerou o registro de reclamações feitas junto ao órgão apenas no primeiro semestre deste ano, o que já supera o total de reclamações registradas nos doze meses de 2013. As operadoras Tim e Oi lideram o ranking das reclamações referentes a falta de cobertura de sinal e a cobranças indevidas na fatura. O balanço completo e o ranking geral das empresas serão divulgados no próximo dezembro.

Os dados do Procon apontam que consumidores registraram 600 reclamações de janeiro a junho deste ano, o que corresponde a uma média de 100 queixas por mês. Segundo o coordenador de fiscalização do órgão, Rafael Braga, o aumento se deve à falta de investimento no setor de telefonia móvel por parte das operadoras; a cobranças indevidas, em que o consumidor contrata um plano e é surpreendido por um valor superior ao contratado na fatura; e à dificuldade de receber chamadas, o que caracteriza falta de cobertura de sinal. 

Braga destaca que os números divulgados não representam a realidade dos serviços prestados pelas empresas de telefonia móvel ao consumidor no estado. “Esse número é considerado baixo pelo Procon, apesar de já ter aumentado em relação a 2013. Só através da denúncia e a operadora sofrendo uma multa administrativa pesada é que vai investir no serviço ao consumidor”, afirmou. Neste sentido, ele orienta que a pessoa que se sentir lesada procure o Procon para denunciar o serviço e a operadora. A terapeuta ocupacional Laís Leal conta que já teve problema com duas operadores de telefonia móvel, porém não denunciou o caso ao Procon e optou pela troca da empresa para resolver a sua insatisfação com a operadora anterior.

O consumidor pode fazer reclamações ao Procon através dos telefones 3073-2824 e 3073-2823, ou 151 (Central de Atendimento). A sede do órgão está situada à travessa Castelo Branco, nº 1029, em São Brás. O horário de funcionamento é de 8h às 14 horas.

Tim diz não conhecer balanço parcial de denúncias do órgão

Procurada para esclarecimentos, a Tim informou que desconhece os dados divulgados pelo Procon. Em nota da assessoria de comunicação, a operadora afirma que “tem empenhado esforços para a redução total de demandas no órgão, mesmo com a intensa usabilidade dos serviços e crescimento da base local de clientes, com um trabalho direcionado para a qualidade do atendimento e fortes investimentos em infraestrutura. Prova disso é que a quantidade de reclamações entrantes Tim no Procon reduziu em 41% entre janeiro a maio de 2014 em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor”. Os investimentos em infraestrutura de rede podem ser observados no site Portas Abertas (www.tim.com.br/portasabertas).

A reportagem também entrou em contato com as empresas Oi, Vivo e Claro, mas até o fechamento desta edição não recebeu os esclarecimentos solicitados sobre o balanço parcial divulgado pelo Procon.

Leia a matéria completa no Amazônia, já nas bancas.