Mais Acessadas

Preso grupo acusado de praticar assaltos na Transamazônica

Trio teria assaltado um posto de gasolina em Rurópolis, sudoeste do estado, ameaçando o frentista com um facão


Por: Redação ORM News com informações da Polícia Civil Em 11 de abril, 2017 - 19h07 - Pará

Em um trabalho conjunto, as Polícias Civil e Militar prenderam três homens acusados de integrar uma associação criminosa responsável por assaltos a postos de combustíveis, situados na rodovia Transamazônica, em Rurópolis, sudoeste paraense.

O goiano Sebastião Régio Cardoso Silva, 38 anos e os paraenses Jackson Oliveira Santos, 22, e Jhonatas Araújo Silva, 21 anos, foram presos em flagrante logo após assaltarem um posto na região. As prisões foram realizadas no último final de semana. Segundo o delegado Ariosnaldo Vital Filho, titular da Unidade Integrada de Rurópolis, o assalto ocorreu por volta de 5h45 da manhã do último sábado (8), quando três homens chegaram ao local de moto e renderam o frentista do posto de combustíveis, no trevo de acesso ao município de Rurópolis. 

Em depoimento, o frentista relatou que os assaltantes estavam armados com um facão e facas. Eles roubaram o telefone celular do homem, além do dinheiro da renda e carteiras de cigarro. Após observar as imagens do circuito de monitoramento do posto, os policiais civis e militares passaram a investigar pessoas suspeitas de estarem envolvidas em roubos a postos de combustível na região. Após dias de investigação, os policiais chegaram até a residência de Sebastião Régis, no bairro Vila Nova. Interrogado, ele confessou ter participado do assalto ao posto e declinou os nomes dos dois comparsas. Sebastião revelou que o facão usado no crime foi jogado em um matagal. Após fazer buscas no local informado pelo acusado, os policiais encontraram a arma do crime.

Mais tarde, Jhonatas foi preso ao ser avistado em frente ao prédio da Unidade Integrada de Polícia. Com ele, um das carteiras de cigarro roubadas foi encontrada. Ele também confessou participação no crime e alegou que o celular do frentista teria sido entregue a Sebastião, que negou. O terceiro preso, Jackson, foi localizado ao longo do dia e também confessou o crime em interrogatório. Os presos alegaram que o dinheiro roubado foi gasto e que os cigarros roubados teriam sido consumidos. Duas camisas e uma moto que teriam sido usadas no assalto foram apreendidas.