Mais Acessadas

Presidente e técnico do Santos/AP culpa gramado pela derrota

Luciano Marba comandou o Peixe da Amazônia no revés para o Remo, pela abertura das quartas de final da Copa Verde, no Mangueirão, em Belém


Por: Redação ORM News Em 30 de março, 2017 - 22h10 - Copa Verde

Foto: Akira Onuma / O Liberal

A chuva intensa que atingiu Belém e parte da Região Metropolitana na noite desta quinta-feira (30) foi um grande teste para o sistema de drenagem do Mangueirão. Minutos antes da partida, funcionários do estádio escoavam água que ficou empoçada em zonas isoladas do gramado, que recebeu Remo 2 x 1 Santos/AP, pela abertura das quartas de finais da Copa Verde. Para o comandante amapaense, a situação do 'tapete verde' do Olímpico do Pará foi um dos principais motivos para o revés do Peixe da Amazônia.

Técnico interino após demitir o então treinador Minga e ter o auxiliar Elcio suspenso, o presidente do Santos/AP, Luciano Marba, disse que o estado do gramado prejudicou o estilo de jogo dos amapaenses. 'O campo estava muito pesado e acabou conosco, porque temos uma equipe de velocidade. Tive que fazer três substituições por contusão e tudo isso permitiu que o Remo fizesse o dever de casa. Mas precisamos apenas de uma vitória simples no jogo da volta e, dentro de casa, somos muito fortes', destacou.

A partida da volta será às 20h15 do dia 3 de abril, no Zerão, em Macapá/AP, com transmissão lance a lance pelo Portal ORM News. Um empate, dará a vaga para o Remo, enquanto que uma vitória do Santos/AP repetindo o placar de 2 a 1 levará a definição da vaga para as penalidades. Quem se classificar, enfrentará o vencedor de Paysandu x Águia. O campeão da Copa Verde ganha R$ 180 mil e a entrada nas oitavas de finais da Copa do Brasil de 2018.