Paraense vai pagar mais caro por pescado no supermercado

Preço do Tucunaré subiu quase 60%. Sarda teve alta de 10,46%, segundo a pesquisa do Dieese-PA


Por: Redação ORM News Em 12 de abril, 2017 - 10h10 - Pará

O preço do pescado comercializado nos supermercados da Grande Belém nos três primeiros meses do ano tiveram reajustes acima da inflação de 0,98% para o mesmo período. A pesquisa do Dieese-PA (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) foi divulgada na manhã desta quarta-feira (12). 

Foto: Ary Souza/ O Liberal

De acordo com o estudo do Dieese, no primeiro trimestre deste ano, dos pescados comercializados inteiros, o maior reajuste foi verificado no quilo do Tucunaré, com alta de quase 60%. Depois vem a sarda com alta de 10,46% e a dourada com alta de 9,11%. Também no período analisado, poucas espécies tiveram recuo nos preços, com destaque para a pescada gó, com queda de 19,09%, seguida da gurijuba com baixa de 5,59% e do camurim com queda de 1,16%.

Já com relação ao pescado comercializado em postas, os maiores reajustes foram no quilo da dourada com alta de 10,58% e do filhote com 1,08%. Somente a gurijuba foi encontrada com redução de 15,72% neste período.

Entre os pescados comercializados em forma filetada, o maior destaque ficou por conta do filé de dourada com alta de 22,54%, seguido do filé de filhote com alta de 3,67%; filé de salmão com alta de 3,59% e do filé de pescada amarela sem pele com alta de 3,18%.

O quilo da pescada branca comercializada sem cabeça foi encontrado em média a R$ 15,98 e a pescada amarela sem cabeça foi comercializada a R$ 38,80. Esses valores não sofreram alteração, segundo o Dieese.