Mais Acessadas

Mostra “Só Nazica” reúne 30 artistas por uma boa causa

Mostra é organizada pelo Comitê de Artistas e Jornalistas “Arte pela Vida”


Por: O Liberal Em 27 de setembro, 2017 - 11h11 - Círio

Trinta artistas plásticos e artesãos paraenses vão participar da exposição denominada “Só Nazica”, que será aberta hoje, às 19h, no Museu da Casa das Onze Janelas, no bairro da Cidade Velha, em Belém. A mostra é organizada pelo Comitê de Artistas e Jornalistas “Arte pela Vida”, que desenvolve ações sociais com pessoas que vivem com o vírus HIV. A exposição ficará aberta ao público até sexta-feira, 29, na Casa das Onze Janelas, sempre das 10 às 16 horas. 

O comitê existe desde 1996 e reúne um grupo de voluntários que executa atividades educativas, como palestras e cafés de acolhimento e faz a doação de alimentos e de artigos de higiene pessoal para quem é atendido pela rede pública de saúde. A exposição “Só Nazica” é promovida a cada dois anos pelo “Arte pela Vida”. A primeira foi em 2011.

A mostra reúne imagens da Virgem de Nazaré pintadas e doadas por artistas plásticos e artesãos em homenagem à “Padroeira dos Paraenses”. Todas as 30 peças da mostra são únicas e podem ser compradas por valores que variam de R$ 80 a R$ 250. Com a renda obtida com as vendas, o “Arte pela Vida” vai comprar cestas de alimentos para serem doadas às pessoas que vivem com HIV às vésperas do Natal deste ano.

Os 30 artistas plásticos e artesãos que participam da mostra “Só Nazica” deste ano são: Andreia Ferreira, Andreia Rezende, Armando Sobral, Berna Reale, Bia Cabral, Cláudia Ribeiro, Drika Chagas, Eliene Tenório, Emanoel Franco, Geraldo Teixeira, Heraldo Cândido, João Cirilo, Jorge Eiró, Kátia Fagundes, Lise Lobato, Lúcia Gomes, Marcos Ramos, Mariléia Aguiar, Marinaldo Santos, Melissa Barbery, Milton Soeiro, Nina Matos, Nio Dias, Oneno, PP Condurú, Roberta Carvalho, Ruma, Tadeu Lobato, Vera Ano Bom e Zezé Valle. 

Davidson Porteglio, voluntário coordenador do Comitê e produtor da mostra Só Nazica, vibra com a adesão de tantos parceiros: “São voluntários não apenas os que efetivam as ações, mas todo aquele que contribui com seu tempo, com suas doações e seu talento particular, para fazer chegar conforto e apoio às pessoas que vivem com o vírus HIV”, diz.

Uma das artistas que integra a mostra é Lise Lobato. “Os mantos confeccionados e as imagens trabalhadas pelos artistas participantes recebem mais que tintas, apliques, laços ou fitas. Submetidos a mãos que traduzem em obras a síntese da vida e do entorno, recebem o maná criativo que reverbera em arte o indizível, que a nós chega como amor ao próximo sob a forma de devoção”, afirma Lise Lobato, uma das artistas que integra a mostra. “Este será o segundo ano que participo da exposição e é sempre um prazer fazer parte desse projeto que tem objetivos tão dignos”, completa.