Mais Acessadas

Jovens aprendizes têm portas abertas em O Liberal

Numa parceria com o Senac, jornal ajuda na formação de novos talentos


Por: O Liberal Em 17 de dezembro, 2016 - 09h09 - O Liberal 70 anos

Com o objetivo de oferecer oportunidades para estudantes de escolas públicas, O LIBERAL e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) do Pará mantém uma parceira para apresentar aos alunos uma profissão e apontar para a possibilidade de um futuro melhor através do programa Jovem Aprendiz.

Foto: Tarso Sarraf (O Liberal)

Atualmente, 19 estudantes com idades entre 16 e 17 anos participam do programa Jovem Aprendiz em vários setores administrativos do jornal. Estes jovens fazem levantamentos de fichas, atendimento ao público, arquivo de documentos, controle de currículos e elaboração de cadastros.

Para ingressar no programa de O LIBERAL, os adolescentes devem ser aprovados num processo seletivo rigoroso, onde são avaliados em diversas etapas, disputando uma vaga entre centenas de candidatos. Após a aprovação, os adolescentes recebem treinamento e instruções sobre a vivência dentro da empresa.

No dia a dia, estes jovens são supervisionados e orientados constantemente por profissionais comprometidos com o desenvolvimento técnico dos adolescentes, visando constantemente a melhor capacitação para o mercado de trabalho. Muitos destes estudantes são, inclusive, incorporados pela empresa após o período de aprendizagem. Ao todo, 66 jovens aprendizes já foram contratados por O LIBERAL desde o início do programa na empresa, sendo inseridos em diversas funções, de acordo com dados do Departamento de Pessoal do jornal.

“Os adolescentes que saem daqui já sabem o que eles querem. Já tivemos casos de adolescentes que saíram daqui, entraram na universidade e depois voltaram como estagiários ou foram contratos pela empresa”, afirmou a coordenadora de Recrutamento e Seleção, Renata Helena Souza.

A responsável pela seleção destes adolescentes explicou também como funciona a triagem. “Primeiramente, durante o processo de seleção, a gente faz um teste situacional, para ver se eles têm uma noção do que querem fazer, com o que eles se identificam. A gente tenta identificar perfis para cada setor”, explicou.

Renata destacou ainda o caráter social deste incentivo para menores que se encontram em situação de risco ou problemas familiares e financeiros. “O programa Jovem Aprendiz tem uma importância social muito grande. A renda familiar pesa muito no processo. A gente prioriza o jovem que tem a renda familiar menor, até para que eles tenham uma oportunidade. Em muitos casos, os pais destes jovens aprendizes estão desempregados. Ele é o único que vai trabalhar. Então, será o arrimo da família”, disse.

A supervisora de Recursos Humanos de O LIBERAL, Vera Amorim, frisou os objetivos do programa e o crescimento profissional destes estudantes por meio do aprendizado na empresa. “Nosso propósito é qualificar estes jovens para o mercado de trabalho. É a primeira experiência que eles vão ter em uma empresa. Aqui, eles vão passar a ter responsabilidade, pontualidade, assiduidade, vão aprender a hierarquia da empresa e aprender a trabalhar em equipe. Esta será a primeira oportunidade que eles terão”, comentou. “Eu acho importante, principalmente porque o programa trabalha com adolescentes que estão cheios de sonhos, de ideais e com muitas expectativas”, completou. Os adolescentes podem integrar a equipe de jovens aprendizagens de O LIBERAL pelo prazo máximo de ano ano e um mês.

Cursando segundo ano do ensino médio, Daniele Mercês, de 16 anos, alegou que a maior contribuição do programa é o conhecimento adquirido nestes meses em que trabalha no jornal como jovem aprendiz. “Tem sido muito bom. Tem muita coisa que eu não conhecia. Aqui, eu aprendi a ter mais responsabilidade. Com o meu primeiro salário, eu fiquei feliz da vida. Ajudei lá em casa, comprei algumas coisas que estava precisando”, recordou.

A adolescente Flávia Manuela Andrade, de 16 anos, cursa o terceiro ano do ensino médio e há oito meses vivencia a experiência do primeiro emprego em O LIBERAL. Ela, que atua no setor administrativo da empresa, disse que tem aprendido muito durante a rotina de trabalho no jornal. “Eu gostei muito. A gente conhece muita coisa. Meus amigos acham muito legal, perguntam como é, a família também ficou muito feliz, principalmente porque foi uma iniciativa minha”, lembrou.

A jovem Layla Alencar, de 16 anos, cursa o terceiro ano do ensino médio e participa do programa Jovem Aprendiz em O LIBERAL desde o início do ano no setor contábil. Ela revelou que o programa foi fundamental para auxiliar nas despesas familiares e custear os estudos. “A gente aprende aqui a cuidar mais das nossas coisas, a ter mais responsabilidade. Está sendo uma experiência muito boa. O meu primeiro salário eu paguei o meu cursinho pré-vestibular e foi fundamental. Eu pretendo ser médica veterinária”, afirmou.