Mais Acessadas

Jovem é executado com tiro na cabeça, em Outeiro

Homem ainda não foi identificado. Testemunhas disseram que viram um carro prata fugindo do local do crime.


Por: Redação ORM News com informações de O Liberal Em 19 de março, 2017 - 23h11 - Polícia

Um jovem com idade entre 20 e 25 anos, não identificado, foi executado com um tiro na cabeça no Distrito de Outeiro no final da tarde de hoje (19). Policiais da Divisão de Homicídios, sob o comando do delegado Eduardo Rollo, e peritos do Centro de Perícia Científica Renato Chaves compareceram ao local do crime.

Foto: Elivaldo Pamplona

As primeiras informações obtidas pela polícia, junto a moradores da rua Nossa Senhora da Conceição, em frente à Escola-Bosque do Outeiro, onde foi praticado o homicídio, são de que o jovem foi morto por alguém que se encontrava em um carro. Moradores falaram em um carro na cor prata para a polícia. O carro foi manobrado em ré e, em seguida, foi dado o único tiro, que vitimou o jovem. Outra informação repassada aos policiais é de que o rapaz frequentava um centro de recuperação de usuários perto do final dessa via pública.

Com a vítima, peritos e policiais encontraram R$ 47,50 em espécie e um pacote de biscoito que o rapaz havia acabado de comprar e estava comendo. A maior parte do dinheiro foi encontrado juntamente com o pacote de biscoito ao lado do corpo da vítima, indicando que ele portava os objetos nas mãos antes de ter sido alvejado com o disparo. Apenas R$ 1,00 foi achado em um dos bolsos do rapaz. 

O perito criminal Jorge Lopes informou que o jovem foi morto com um tiro certeiro, disparado de baixo para cima, na região occipital do crânio, próximo à nuca. "Ele estava apenas com o dinheiro e o pacote de biscoito. Não tinha identificação. Ele tem uma tatuagem do nome 'Suely' em um antebraço", destacou o perito.

Curiosos e transeuntes em geral pararam para ver a ação dos peritos e policiais no local do crime. O sangue da vítima escorreu pela vala ao lado do corpo. Tão logo foi morto, o jovem teve seu corpo coberto com um lençol por moradores da área central do Outeiro. 

Ninguém na área conhecia a vítima, mas uma pessoa passou pelo local, observou o corpo, antes de ser coberto, e disse a quem estava por perto que o rapaz frequentava um centro de recuperação de usuários de drogas não longe de onde ele foi assassinado. 

A partir das impressões digitais da vítima, colhidas pelos peritos, a polícia vai trabalhar agora no levantamento de informações para ver se consegue identificar o jovem cujo corpo foi encontrado pelos cabos Werlle e Piedade, do motopatrulhamento da 4ª Companhia da Polícia Militar a partir de relato de populares à polícia. "Nós fomos acionados por volta das 18 horas", destacou o cabo Piedade.