Mais Acessadas

Hospital Regional atua na prevenção da depressão pós-parto

Em alusão ao Dia Mundial da Saúde, o Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), realizará ações educativas nesta sexta-feira (7).


Por: Redação ORM News com informações da Agência Pará Em 07 de abril, 2017 - 09h09 - Pará

Em alusão ao Dia Mundial da Saúde, o Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), localizado no município de Breves, realizará ações educativas nesta sexta-feira (7). Destinada a colaboradores, usuários e acompanhantes, serão repassados alguns dos principais sintomas da depressão pós-parto.

Com assistência de alta complexidade para várias especialidades, inclusive em obstetrícia, o hospital tem um intenso fluxo de atendimento de partos de alto risco. Em 2016, foram 338, entre normais e cesáreas, que corresponde a uma média mensal de pouco mais de 40 procedimentos. A prevenção contra a depressão ganha destaque no atendimento das grávidas, especialmente, durante o pré-natal das pacientes encaminhadas para o regional.

De acordo Luana Matos, responsável pelo setor de Psicologia do hospital, as ações preventivas contra a depressão são realizadas regularmente no atendimentos das mães. “A depressão pós-parto ocorre logo após o parto. Normalmente esses quadros se desenvolvem em função de alterações hormonais decorrentes do fim do período gestacional”, pontuou.

O trabalho de humanização no atendimento aos usuários tem um cuidado redobrado junto à maternidade, tendo em vista que o HRPM está em busca da certificação Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), da Unicef, por meio do Ministério da Saúde. Por isso promove, entre outras ações, orientação e treinamento às gestantes e mães sobre vários aspectos da gravidez, por intermédio do Grupo de Apoio ao Aleitamento Materno Exclusivo (Gaame), no espaço de acolhimento às mães com bebês internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e Pediátrica.

Quando a equipe identifica usuária com sintomas da depressão, ela é encaminhada à psicologia e, se necessário, para atendimento na rede pública especializada. São vários os sintomas, que têm diferentes graus de intensidade, entre eles, choro sem motivo, irritabilidade, intolerância, insônia, inapetência, agressividade e passividade.

Segundo levantamento da Fundação Oswaldo Cruz, o transtorno atinge uma em cada quatro mulheres no Brasil, mais de 25% das mães brasileiras. A atividade educativa no HRPM pelo Dia Mundial da Saúde é organizada e desenvolvida pelo Grupo de Trabalho de Humanização (GTH), com rodas de conversa, palestras, apresentação de vídeos e distribuição de panfletos sobre o tema.