Homem cria perfil falso de Éder Mauro para extorquir

Mais de 150 pessoas foram enganadas. Uma delas chegou a depositar 12 mil reais para o golpista


Por: Redação ORM News Em 20 de março, 2017 - 12h13 - Polícia

Um homem identificado como Jadson Loureno Araújo Fonseca praticou golpe de estelionato em mais de 150 pessoas ao criar um falso perfil no Facebook do Deputado Federal Éder Mauro. Ele se passava pelo ex-delegado nas redes sociais e oferecia diversos produtos para venda a preços bem abaixo do mercado, com a desculpa de que ganhava vantagens por seu cargo político. 

Foto: Victor Furtado

Jadson utilizava de inúmeras artimanhas para convencer as vítimas de que ele realmente era o deputado. Informações gerais eram copiadas da página oficial de Éder Mauro, assim como fotos e vídeos, incluindo arquivos de familiares do ex-delegado, como fotografias do seu filho de cinco anos. Todos os recursos eram uma tentativa de dar legitimidade ao falso perfil. 

Convencidos de que realmente se tratava do político, muitas pessoas passaram a adicioná-lo e segui-lo nas redes. Com o tempo, ele começou a travar contato com esses seguidores, e era neste momento que o golpe começava a ser posto em prática. 

Ao longo de oito meses, celulares, bolsas de estudo, carros e até porte de arma foram oferecidos aos usuários, afirmando que amigos em Brasília conseguiam os produtos de fábrica a preços acessíveis e praticamente irresistíveis. A maioria das vítimas que caíram no golpe eram do Pará, mas algumas de fora do Estado também foram atingidas. 

Uma grande quantia em dinheiro foi arrecadada pelo estelionatário, que cobrava valores variados a cada golpe aplicado. Ele possuía um carro, casa e viajava com frequência, provavelmente com o dinheiro que pegava das vítimas. Uma das pessoas, que terá a identidade preservada, chegou a depositar 12 mil reais ao falso deputado para a compra de um suposto veículo e declarou que nunca desconfiou que se tratava de um golpe, por não acreditar que alguém teria coragem de se passar por um político e, principalmente, alguém que já foi da polícia.

Jadson foi autuado por falsidade ideológica e estelionato.

INVESTIGAÇÃO

A investigação começou quando a delegada Vera, da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe), recebeu denúncia de duas vítimas que afirmavam ter sido enganadas pelo delegado Éder Mauro. Ao investigar as mensagens trocadas, tanto pelo WhatsApp como pelo Facebook, foi constatada a informação de que se tratava de um perfil falso. 

Imediatamente, a delegada acionou o Deputado que fez a ocorrência na Delegacia de Crimes Tecnológicos, responsável por fazer uma investigação ainda mais detalhada. Foram seis meses de investigações até chegar ao golpista que estava morando em Alagoinha, na Bahia. A Polícia Civil da Bahia entrou em operação conjunta com o interativo do Estado e prenderam Jadson no município de Itaim, a cerca de 160 quilômetros de Alagoinha, quando já estava se dirigindo para mais uma viagem para Porto Seguro. 

Com o acusado foi apreendido o notebook e o celular usados para praticar o golpe. Nos aparelhos eletrônicos, todas as mensagens foram encontradas, fatores fundamentais para comprovar a suspeita e ter a prisão decretada. 

POSICIONAMENTO DO DEPUTADO FEDERAL

Foto: Victor Furtado

O Deputado Éder Mauro afirmou que o golpe estava comprometendo sua imagem, pois até alguns amigos pessoais haviam caído no golpe. O político contou que recebia inúmeras ligações de conhecidos cobrando pelos objetos que eles haviam negociado. 

Além da preocupação com o dano à sua imagem, o ex-delegado disse que o estelionatário estava expondo sua família, o que tornava a situação ainda mais perigosa. 

O Deputado Federal ressaltou que só tem uma página oficinal no Facebook que conta com mais de 100 mil curtidas.