Mais Acessadas

Estado vai realizar a revisão de dois benefícios do INSS

Em todo o Brasil, serão chamados 530 mil beneficiários com auxílio-doença


Por: O Liberal Em 24 de janeiro, 2017 - 07h07 - Pará

No Pará, 23.445 benefícios de auxílio-doença e 15.369 de aposentadoria por invalidez devem passar pelo Programa de Revisão dos Benefícios por Incapacidade, que vem sendo feito pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Eles estão dentro dos critérios estabelecidos pela MP 767, que possibilita a retomada do pente-fino nos benefícios pagos pela Previdência. A MP foi publicada no dia 6 de janeiro, em edição extra do Diário Oficial da União. Em todo o Brasil, serão chamados 530 mil beneficiários com auxílio-doença que estão há mais de dois anos sem perícia. 

De acordo a Previdência, a expectativa total, após os dois anos de pente-fino, é de que sejam economizados R$ 6 bilhões, no Brasil. O órgão não informou quanto deve ser essa economia no Estado do Pará.

Após receber o comunicado, o segurado terá cinco dias úteis para agendar a perícia pelo número 135. Quem não atender a convocação ou não comparecer na data agendada terá o benefício suspenso. Para reativar o auxílio, ele deverá procurar o INSS e agendar a perícia. A ação alcançará os benefícios pagos pelo governo aos beneficiários de auxílio-doença que estão há mais de dois anos sem revisão e os aposentados por invalidez com menos de 60 anos. 

Essa não é a primeira vez que uma operação similar é realizada no Pará. De acordo com informações da Previdência, enviadas à reportagem, até 31 de outubro, na revisão feita pela MP 739, foram 219 perícias realizadas no Pará, com 175 benefícios cancelados, o que representou uma economia de R$ 2,2 milhões.

O pente-fino foi retomado no dia 16 de janeiro, com o levantamento dos dados dos segurados cujos benefícios serão revisados e reconfigurado o agendamento das perícias nas agências da Previdência Social.