Mais Acessadas

Eduardo Cunha se nega a fazer exame para comprovar aneurisma

Ex-presidente da Câmara dos Deputados relatou doença em audiência. De acordo com Depen, 'pena leve será colocada em sua ficha carcerária'.


Por: G1 Em 08 de fevereiro, 2017 - 14h02 - Política

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha. Foto: Divulgação

O diretor do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen), Luiz Alberto Cartaxo de Moura, informou, no fim da manhã desta quarta-feira (8), que o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) se negou a fazer exames médicos.

A avaliação médica em Curitiba, de acordo com o Depen, seria para comprovar a existência de um aneurisma que Cunha alegou ter no cérebro. O político falou sobre a doença ao juiz federal Sérgio Moro durante uma audiência da Operação da Lava Jato, na terça-feira (7).

Ainda conforme o diretor do Depen, é a segunda vez que o ex-presidente da Câmara dos Deputados se nega a ser examinado. Por conta da nova recusa de Cunha, Cartaxo afirma que "uma pena leve será colocada na sua ficha carcerária".

A defesa de Cunha afirma não ter sido informada sobre os exames médicos e nem sobre a recusa do deputado cassado.

Cunha foi interrogado pela primeira vez por Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, na terça-feira. Foram três horas de audiência relacionada ao processo em que o ex-presidente da Câmara dos Deputados é réu.

Em meio ao interrogatório, o político disse ao juiz federal que tem um aneurisma cerebral parecido com o que teve a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva. Dona Marisa morreu na sexta-feira (3).

Nesta quarta-feira, os advogados de Cunha informaram que pediram à família os exames que diagnosticaram o aneurisma dele e que a documentação deve ser juntada ao processo. Eles também haviam pedido, um dia antes, a liberdade do cliente.

Preso em 19 de outubro, em Brasília, o político é acusado de receber propina de contrato da Petrobras para exploração de petróleo no Benin, na África, e usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.

Atualmente, Cunha está detido no Complexo Médico-Penal (CMP) em Pinhais, na Região Metropolitana da capital paranaense.