Mais Acessadas

Direitos humanos exigem novo olhar, mais apurado

Sociedade justa e fraterna exige que jornais rompam com sensacionalismo


Por: O Liberal Em 20 de dezembro, 2016 - 09h09 - O Liberal 70 anos

Foto: J. Bosco

O aumento da violência em nossa sociedade tem levado a consequências nem sempre perceptíveis a todos. Um aspecto muito ignorado tem sido os constantes ataques e processos de criminalização dos defensores de direitos humanos. 

Assistimos muitas vezes nos veículos de mídia um processo de culpabilização dos defensores de direitos humanos, que contrapõem a sociedade à defesa dos direitos humanos, simplifica essa defesa à proteção dos ditos “bandidos” e essencializa essa defesa em um ou outro indivíduo ou instituição. Assim, constantemente, há em veículos de comunicação que colocam matérias como “o que pensam os direitos humanos?”. Nos termos da nossa Constituição, é fundamento do Estado Democrático de Direito a defesa da dignidade da pessoa humana (art.1º) e objetivo da República construir uma sociedade livre, justa e solidária (art. 3º), assim como defender internacionalmente a prevalência dos direitos humanos (art. 4º). Não é assim possível imaginar que existe alguém ou uma instituição que essencialize a defesa dos direitos humanos, mas todas as instituições devem primar pela defesa dos direitos humanos.

Não se pode também imaginar que defender os direitos humanos signifique apenas defender os direitos das pessoas presas, lugar em que constantemente algumas instituições são colocadas pelos veículos de comunicação. A sociedade precisa entender que defender direitos humanos envolve defender a vida, a saúde, a educação, o saneamento básico e tudo aquilo necessário para a dignidade de todos e de todas. Por isso é inconcebível alguém dizer: “sou contra os direitos humanos”, como se ela defendesse que a partir de um dado momento os seres humanos perdessem todas as suas conquistas, como o direito ao voto ou o próprio direito de comunicação.

No bojo dessas discussões, a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Pará, em parceria com o Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor), decidiu lançar a campanha “Um novo olhar da Mídia para os Direitos Humanos”. No dia 9 de dezembro, véspera do Dia Internacional dos Direitos Humanos, serão premiadas as melhores matérias no rádio, web, impresso e TV sobre a temática, com inscrições abertas nos sites das duas instituições. 

Para alcançarmos uma sociedade justa, fraterna e igualitária é essencial lutarmos por uma imprensa livre e comprometida com os interesses da sociedade, formando valores e propagando ideias capazes de construir uma cultura de respeito aos direitos humanos.

Nesses 70 anos do jornal O LIBERAL é de extrema importância observar sua trajetória e verificar caminhos e possibilidades para um jornalismo que não sucumba a um mar de sensacionalismo com exibição de corpos e exploração da tragédia humana. Essas matérias, além de expressarem violações de direitos, contribuem para uma banalização da violência, incitando práticas muitas vezes criminosas. Por isso, é de suma importância exaltar matérias feitas por este jornal que contribuíram, ao longo do tempo, para a ação de autoridades, ao expor violências muitas vezes subterrâneas, e para a sensibilização da sociedade para importantes mudanças.