Mais Acessadas

Detran divulga dados e Belém fica em primeiro lugar

Comparado em 2015, a capital teve um aumento de 22%


Por: Redação ORM News com informações de assessoria Em 16 de janeiro, 2017 - 17h05 - Região Metropolitana

Foto: Divulgação

Belém ficou em primeiro lugar no que diz respeito as infrações de trânsito. Segundo o Departamento de Trânsito do Estado (Detran) ouve um aumento significativo nas infrações de trânsito no ano passado em relação ao ano de 2015. Um milhão cento e um mil novecentos e vinte e um (1.101,921), autos de infrações foram lavrados no Estado do Pará pelos órgãos autuadores em 2016. Em 2015, foram lavrados 898.409 autos, portanto um aumento de 22,65%.

O departamento informou que a capital paraense ficou em primeiro lugar com 394.839 registros, seguida dos municípios de Ananindeua com 122.000 autos aplicados e Parauapebas, no sudeste paraense, com 80 mil autos de infrações registrados no ano de 2016.

Segundo o setor de estatística as três infrações mais recorrentes no Estado foram: transitar em velocidade superior a permitida até 20% (infração média), com 404.450 mil; infração de avanço do sinal vermelho (infração gravíssima), com 202.584; e transitar em velocidade superior a permitida a mais de 20% até 50% (infração grave) com 79.162 mil registros.

Em Belém as infrações mais cometidas foram: transitar em velocidade superior a 20% (infração média), com 164.603 mil, seguida do avanço do sinal vermelho (infração gravíssima), com 135.156 e transitar em velocidade superior a permitida mais de 20% até 50%: 27.158 infrações.

Ainda de acordo com Detran, a repercussão no bolso dos condutores trouxe também novos números para uma infração bastante comum neste dias. O uso de celular ao volante chegou a ocupar o 13º lugar em 2015, mas caiu para 19º no ranking até meados de 2016, mais precisamente o mês de agosto. Assim, ‘dirigir utilizando fones', como é denominado tecnicamente essa infração, caiu drasticamente.

Desde novembro de 2016 essa infração passou do grau médio para gravíssimo, e o valor saltou de R$ 191,54 para R$ 293,47. De quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), falar no celular ao dirigir soma agora sete pontos.