Mais Acessadas

Detentos irão realizar serviços de marcenaria no Mangal

O trabalho de marcenaria será feito por três internos do regime semiaberto custodiados no Centro de Progressão Penitenciária de Belém (CPPB)


Por: Redação ORM News com informações da assessoria Em 30 de março, 2017 - 20h08 - Pará

Por meio do projeto Trilhas, o Parque Zoobotânico Mangal das Garças receberá o trabalho de revitalização feito por detentos do sistema penitenciário do Estado do Pará. Eles irão construir bancos e mesas de madeira e em seguida revitalizarão toda a trilha que passa por trás dos espaços do viveiro das Aningas e do Farol de Belém. Eles também farão as substituições das peças no mirante.

Um convênio assinado pelo superintendente do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), André Cunha, e o presidente da Organização Social Pará 2000, Fabriano Fretes, que administra o parque, oficializou a parceria, nesta quinta-feira (30), no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.

O trabalho de marcenaria será feito por três internos do regime semiaberto custodiados no Centro de Progressão Penitenciária de Belém (CPPB), já a partir do próximo dia 10 de abril. Eles irão trabalhar oito horas diárias e serão remunerados com um salário mínimo, auxílio transporte e alimentação.

As madeiras utilizadas para a construção e revitalização foram doadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), totalizando 249,59m³ de madeira, entre elas: 5,64m³ de Cumaru, 13,18m³ de Pequiá-Branco, 63m³ de Angelim-Vermelho e 167,77m³ de Maçaranduba. Todo o produto foi apreendido de extração ilegal.

As vagas oportunizadas por meio do convênio possibilitarão uma mudança de vida aos internos, além da qualificação profissional. “A Susipe está trabalhando continuamente para a ampliação do uso da mão-de-obra carcerária em iniciativas privadas e públicas. A oportunidade que é dada ao interno significa uma vida transformada. Para nós é um prazer enorme em assinar este convênio que vai introduzir mais um tipo de serviço realizado pelos internos do sistema penal no Mangal das Garças”, afirmou o superintendente da Susipe.

Este é o segundo projeto realizado entre a Pará 2000 e a Susipe. Em 2007, foi criado o projeto "Transformando Vidas", com o emprego de seis internos da Colônia Penal Agrícola de Santa Isabel (CPASI) que garantem a produção de 60 espécies de plantas que alimentam lagartas e borboletas do Parque Zoobotânico.

O presidente da Pará 2000 avalia positivamente a união de iniciativas que o próprio Estado oferece, gerando economia e agregando valor social. “O Estado nos oferece várias oportunidades. Este convênio é importante por contribuir para a reinserção social da pessoa presa, pois todos que cometeram um erro devem ter uma nova oportunidade de vida, além de utilizar recursos apreendidos para recuperação de um espaço público”, destacou Fabriano Fretes.

Atualmente, a Susipe possui 28 contratos assinados onde a mão-de-obra carcerária é utilizada, beneficiando mais de 500 internos do sistema penal. “Como um mangal é um ambiente de floresta, que necessita de manutenção constante acreditamos que é um convênio que iremos precisar sempre. E a realização deste segundo convênio com a Susipe, é prova de que o primeiro – realizado com os internos da colônia agrícola deu certo”, revelou Vera Cascaes, gerente operacional da Pará 2000.