Mais Acessadas

Destaque no Paulistão, meia paraense revela motivação extra

Igor, de 25 anos, joga profissionalmente desde 2012 em memória do irmão. Ele nunca jogou por clubes do Pará


Por: Redação ORM News Em 31 de março, 2017 - 18h06 - Futebol

Foto: Divulgação

Titular absoluto do Ituano e coringa da equipe, o meia Igor, de 25 anos, é um paraense nascido em Castanhal que atua profissionalmente desde 2012 sem nunca ter defendido clubes paraenses. Destaque do time presidido pelo pentacampeão mundial Juninho Paulista e treinado pelo vitorioso Roque Junior, o meia tem como principal motivação a memória do irmão, Danilo, falecido há 15 anos após cair de uma árvore de jambo.

Igor é meia de origem, mas já atuou como volante e até como centroavante no Ituano. Aliás, com a camisa 9, chamou a atenção no confronto contra o Santos, na Vila Belmiro. Porém, a grande partida de Igor no campeonato foi contra o Linense, quando marcou dois gols e fez duas assistências, na goleada rubro negra por 5 a 1. Assista aos melhores momentos da goleada abaixo!

Foto: Arquivo pessoalA temporada já rendeu até propostas, mas Igor contou, emocionado, que o maior prêmio é poder seguir na profissão - e até na mesma posição - que o irmão Danilo (à esquerda na foto) viveria atualmente. 'Danilo é minha maior inspiração. Penso nele todos os dias. Tenho certeza que, se estivesse vivo, estaria jogando em um time bom. Jogo por ele e pela minha família', disse.

Castanhalense, Igor chegou a atuar nas categorias de base do Japiim e chamou a atenção de um observador que o indicou para o Anápolis (GO), mas a transação acabou sendo concretizada com o XV de Jaú (SP). Após um ano, ele foi para o Iranduba (AM), retornou ao XV de Jaú e foi negociado com o Barretos (SP), onde ficou as temporadas de 2014 e 2015. Jogou ainda pelo Mirassol e, já em 2016, vestiu a camisa do Ituano, com 17 jogos e três gols. O rendimento foi o suficiente para a renovação do contrato e, neste ano, foram 10 partidas e dois tentos marcados.

Foto: Divulgação

O início de 2017, aliás, tem sido especial para Igor. Em cinco anos como atleta, ele contou que ainda não conseguiu construir um patrimônio através do futebol, mas que o momento vivido tem deixado essa meta mais perto da realidade. 'Até agora, consegui quase nada em termos financeiros para a minha família, mas este ano está sendo diferente, ainda mais por estar jogando a Série A1, contra os principais clubes de São Paulo. É a maior vitrine do Brasil. Estamos aguardando propostas', falou.

Por conta do início complicado sob o comando de Tarcísio Pugliese, o Ituano não conseguiu se classificar para as quartas de finais, apesar da arrancada com a presença de Roque Junior como técnico. No entanto, os sonhos de Igor continuam na mesma proporção do talento. 'O que penso é em jogar em um time gigante do Brasil ou de fora. Acredito que, se eu continuar com esse trabalho, ficarei cada vez mais próximo disso. O que mais quero é mudar a vida da minha família através do futebol. Não vou desistir!', frisou e concluiu mandando um único recado ao irmão Danilo: 'Te amo!'