Mais Acessadas

Desemprego aumenta no Pará no primeiro mês de 2017

Pará teve a maior perda de postos de trabalho na Região Norte, com destaque para o comércio e construção civil


Por: Redação ORM News Em 03 de março, 2017 - 19h07 - Economia

Foto: Camila Domingues/Palacio Piratini

O ano de 2017 começou com queda na geração de empregos formais em todo o Estado do Pará. Foi o revelou a pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), divulgada nesta sexta-feira (03). 

De acordo os dados do estudo, no mês de janeiro de 2017, a perda de empregos formais  abrangeu  a grande maioria dos setores econômicos. Em todo o Pará, 21.361 foram admitidas em novos empregos, enquanto 24.170 foram dispensadas, gerando um saldo negativo de 2.809 postos de trabalho no setor formal da economia, com um recuo de 0,38% no número de empregos em relação ao mês de dezembro de 2016.

Em janeiro de 2016, o Pará também apresentou queda na geração de empregos formais, só que bem maior que o verificado este ano. No ano passado, foram feitas 21.276 admissões, contra 25.746 desligamentos, gerando um saldo negativo de 4.470 postos de trabalho.

O estudo com o balanço sobre a geração de empregos formais no Pará e nos demais estados da Região Norte foi elaborado com base em informações oficiais do Ministério do Trabalho, analisando o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), levando em consideração a nova metodologia adotada pelo Ministério do Trabalho. O relatório faz parte do projeto "Observatório do Trabalho do Estado do Pará", uma parceria do Dieese/PA com a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda  (SEASTER).

Ainda de acordo com o estudo, o setor do comércio foi o que mais apresentou quedas na geração de empregos formais, com a perda de 1.710 postos de trabalho, seguido pelo setor da Construção Civil, (com a perda de 915 postos de trabalho); setor de serviços (com a perda de 169 postos de trabalho) ; e do setor da indústria de transformação, que perdeu 134 postos de trabalho formais.

Região Norte

O DIEESE/PA também analisou a situação da geração de empregos formais nos demais Estados da Região Norte no mês de Janeiro/2017. A grande maioria apresenta queda na geração de empregos formais, com destaque para o Pará que apresentou saldo negativo de 2.809 postos de trabalhos, seguido de Rondônia, com a perda de 1.875 postos de trabalho; Amazonas, com a perda de 1.426; e do Tocantins, com a perda de 677 postos de trabalho.