Mais Acessadas

Cruz Vermelha tem ação ameaçada por falta de doações

Escassez de doações deixa a instituição envolta em dificuldades


Por: O Liberal Em 15 de agosto, 2016 - 08h08 - Círio

A Cruz Vermelha passa por dificuldades financeiras e sua atuação no Círio de Nossa Senhora de Nazaré está comprometida para este ano, por falta de doações de pessoas e empresas. Até mesmo o cadastro de voluntários para o Círio, que em 2015 totalizou 6.500 pessoas, já aberto para 2016, atraiu até o momento apenas 20 pessoas. Além de atuar no Círio, em Belém, no socorro aos romeirs, a instituição realiza vários outros projetos na área social e educacional. 

“Até o momento, recebemos somente recipientes de isopor que servem pra colocar água, gelo e transportar medicação para quem precisa de cuidados em todas as procissões do Círio de Nazaré, nos 15 dias após a grande procissão”, explica Daniele Silva, secretária geral da Cruz Vermelha. Segundo ela, para organizar o projeto do Círio, garantindo a atuação dos voluntários, é necessário garantir almoço, janta e lanche, material de higiene, limpeza e expediente, além de malharia e material gráfico.

Foto: Marcelo Seabra/O Liberal

Daniele Silva destaca como imprescindíveis os alimentos, perecíveis ou não, frutas, verduras e legumes, com ênfase para os lanches das procissões do Círio, quie exigem 20 mil pães, 100 quilos de queijo e 100 litros de xarope de guaraná, além de material para curativos, como gase, esparadrapo, álcool e luvas estéreis, que todos os anos faltam. 

No Círio, a Cruz Vermelha fica responsável pela saúde de quem participa do evento, socorrendo pessoas que passam mal em miniambulatórios montados ao longo dos percursos das diversas procissões. Os voluntários socorristas levam as pessoas, em macas, para atendimento de primeiros socorros. Em casos graves, o paciente é transferido para os hospitais de referência. A ação tem apoio das secretarias estadual e municipal de Saúde, e das forças armadas: Marinha, Exército e Aeronáutica.

Em 2015, da Trasladação até a grande procissão, foram registradas 1.018 ocorrências, incluindo cinco crianças perdidas e devolvidas a seus responsáveis e 21 transferências para hospitais para exames complementares. Pelo menos 70% das ocorrências foram durante a grande procissão. Em 2014, foram feitos 1.161 atendimentos. 

Segundo José Guataçara, vice-presidente da Cruz Vermelha, a maior parte das ocorrências no Círio 2015 envolveu pessoas com deficiência de alimentação, agravada pelo sol forte, que usavam roupas apertadas, dificultando os movimentos, e pessoas hipertensas que não tomaram seus remédios. O atendimento foi mais qualificado, feito ainda no local do trauma onde a pessoa se acidentou, diminuindo o índice de levar pacientes para o posto ou outro atendimento. 

A organização do projeto do Círio começou no dia 1º de agosto deste ano e já conta com cerca de 20 voluntários, que realizam as inscrições e treinamentos na sede da instituição. Para ser voluntário nas festividades de Nossa Senhora de Nazaré basta ter acima de 15 anos de idade e procurar pela instituição, que funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 18h, sem intervalo para almoço, na Travessa Barão do Triunfo, Passagem Nossa Senhora das Graças, 58, entre as avenidas João Paulo II e Almirante Barroso. Contatos pelo telefone (91) 3348-6005.