Mais Acessadas

Consumidor irá pagar mais caro pelo pescado

É o quinto mês consecutivo que o produto apresenta alta em seus valores


Por: Redação ORM News com informações do Dieese Em 11 de abril, 2017 - 09h09 - Pará

O pescado consumido pelos paraenses tem apresentado alta em seus valores pelo quinto mês consecutivo. Nas proximidades da semana santa, o registro de elevação dos preços também não foi diferente. Em um balanço feito com base nas pesquisas conjuntas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese/PA) e da Secretaria de Economia (Secon) da Prefeitura Municipal de Belém, constatou-se que a maioria dos 38 principais tipos de pescados encontrados nas mesas dos paraenses, assim como o camarão regional e o caranguejo, apresentou reajuste em seus valores. 

De acordo com as pesquisas, os pescados mais afetados no mês de março de 2017 pela alta dos preços foram os seguintes tipos: Pacu (20%), Aracu (15,58%), Tainha (14,93%), Peixe Pedra (13,64%), Cação (12,22%) Dourada (10,40%), Pirapema (10,34%), Pratiqueira (10,23%), Filhote (10,11%), entre outros. Mesmo sendo uma quantidade mínima, algumas espécies apresentaram redução de suas tarifas na mesma linha de tempo, como o Acari, com uma queda de 28,74% e o Tucunaré, com recuo de 21,84%.

De acordo com a Secon, essa alteração nos valores do mercado em relação ao produto se deve às cheias dos rios, que dificultam as pescas, sendo uma época com grande procura do peixe. Dessa forma, a secretaria busca intensificar a comercialização interna do produto, para abastecer as necessidaedes locais como prioridade. 

Confira a tabela: