Mais Acessadas

Comerciantes e clientes esperam vantagens com pagamentos

Governo legaliza descontos que já eram rotina nas lojas de Belém


Por: O Liberal Em 29 de dezembro, 2016 - 08h08 - Economia

Foto: Oswaldo Forte/ O Liberal

Oferecer preço diferenciado dos produtos conforme a forma de pagamento era uma prática comum entre os lojistas, mas ilegal. A  Medida Provisória 764, que já está em vigor, legalizou o procedimento. Os lojistas de Belém esperam que os clientes sintam-se motivados a comprar e os consumidores esperam obter descontos vantajosos.

Na manhã de ontem, Luciandra Antunes, que trabalha na rua João Alfredo em uma loja de roupas, disse que sempre deu desconto ao cliente que paga à vista, em espécie. O cliente que compra com o cartão de crédito paga o valor que consta na etiqueta, disse a comerciária.

"Nós etiquetamos as nossas roupas com os valores correspondentes a cada peça. No momento do pagamento, a pessoa que pagar à vista recebe um desconto entre 5% a 10%. Mas os clientes que compram com o cartão de crédito permanecem pagando o valor que consta na etiqueta, pois nesse caso não temos como dar desconto, já que pagamos várias taxas para o cartão", justifica a gerente da loja.

Antes, esse mecanismo de venda era considerado ilegal, mas com a Medida Provisória 764 o governo legalizou a prática. Michele Amazonas, que também é gerente de uma loja no centro comercial da cidade, acredita que a medida tem a intenção de estimular as vendas no início do ano, que geralmente são fracas. Otimista, ela espera que o efeito seja positivo e que os consumidores se sintam estimulados.

"Aqui na loja 80% dos clientes compram com cartão de crédito. Não sei se com essa medida vá mudar o comportamento do consumidor, nós esperamos que as vendas continuem após esse período de final de ano", torce Michele. A professora Francisca de Assis Gonçalves, 65, não possui cartão de crédito: ela só faz compra à vista. Agora,  ela espera obter vantagem no momento das compras.

"Ainda não senti diferença até porque eu sou um tipo de cliente que sempre peço desconto em decorrência de comprar à vista. Agora com a medida autorizada eu espero que o desconto seja bom, mas faltou essa medida ser válida para a compra no cartão de débito, que também é à vista, pois na maioria dos casos eu uso o cartão pela questão de segurança e comodidade", declarou a professora.

Thais Syntya Antunes da Costa é o tipo de consumidora que sempre faz compras e paga om cartão de crédito. Portanto, essa medida não influenciará suas compras, uma vez que a maior parte do seu consumo não é pagamento à vista. "Eu sei que o melhor é fazer compras à vista, mas a dinâmica que uso na administração do meu dinheiro é a compra por meio do cartão de crédito. Inclusive teve uma época que eu me prejudiquei, pois só estava pagando o mínimo do cartão e com os juros já estava ficando uma bola de neve", revela a consumidora, que espera um dia mudar sua forma de pagamento.