Mais Acessadas

Celpa é líder de reclamações de consumidores no Pará

Neste ano, Procon já registrou mais de mil queixas contra empresas no Pará; 297 dizem respeito à concessionária


Por: O Liberal Em 15 de março, 2014 - 08h21 - Pará

As Centrais Elétricas do Pará S/A (Celpa) lideram o ranking de reclamações da Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PA). De acordo com o balanço divulgado ontem, véspera do Dia Nacional do Consumidor, mais de mil queixas foram registradas somente nos dois primeiros meses deste ano pelo órgão. Destas, 297 reclamações dizem respeito à concessionária e ganharão a esfera judicial.

Os questionamentos mais frequentes contra a empresa de energia elétrica do Pará são cobranças indevidas ou abusivas de faturas, danos materiais decorrentes do serviço prestado, duplicidade de faturas e acúmulo de consumo.

Além da Celpa, a Cemaz Indústria e Comércio da Amazônia, representante da marca CCE na região Norte, o grupo Yamada, a rede de supermercados Líder e a TNL PCS S/A, representante da marca Oi no Pará, completam a lista das cinco empresas mais questionadas no Procon por consumidores neste ano.

Nos dois últimos anos, a Celpa foi a campeã de reclamações no Procon, sendo que o total de queixas saltou de 2,2 mil em 2012 para mais de 3 mil, em 2013.

Entre os consumidores da concessionária de energia elétrica que apresentam descontentamento está o vendedor de motos Carlos Benedito da Costa Gomes, de 54 anos, há oito meses esperando a solução para o prejuízo que sofreu em julho do ano passado, depois que uma sobrecarga elétrica na rede de energia do quarteirão em que mora, no bairro do Umarizal, danificou ao mesmo tempo a geladeira, a televisão e um computador. Ele registrou queixa no Procon-PA no início de agosto. De lá para cá, garante o vendedor, houve uma tentativa de acordo, mas a Celpa não reconheceu a responsabilidade pelas perdas. O resultado será definido em uma audiência no próximo dia 28.

Denúncia - Denunciar as ilegalidades cometidas pelos fornecedores de produtos e serviços é a principal arma da clientela para evitar que uma compra ou um serviço prestado se torne prejuízo. É o que aponta o diretor-geral do Procon, Raimundo Sabá Neto, afirmando que o consumidor está cada vez mais ciente de seus deveres e obrigações. "Realizamos, em média, 100 atendimentos por dia. Esta é uma prova de que o consumidor paraense está mais atento à legislação, pois, na década passada, este contingente era bem inferior", avalia.

O diretor do Procon detalha que a cobrança indevida é a principal reclamação dos usuários de serviços essenciais que procuram o órgão. "É fundamental que o consumidor busque seus direitos, pois queremos que ele seja os olhos e ouvidos do Procon", orienta.

Advogado especialista em direito do consumidor, Marcus Araújo explica que quem se sentir lesado deve guardar provas do serviço prestado ou produto adquirido junto ao fornecedor. "Isso inclui nota fiscal, fatura, fotos e tudo mais que for válido. Em seguida, o cliente deve entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do fornecedor e expor o problema, sempre anotando os números de protocolo ou guardando senhas de atendimento", diz. Caso o problema não seja resolvido nesse contato, Araújo orienta ao cliente se dirigir ao órgão fiscalizador, como é o caso do Procon e das agências reguladoras.

Dona de casa recomenda luta por direitos

Problemas com prestadoras de serviço é algo corriqueiro na vida da dona de casa Rosângela Sousa, de 58 anos, que até pouco tempo não costumava recorrer ao Procon em situações de suposto abuso por parte dos fornecedores. "Já tive problemas com empresas de telefonia, com bancos e agora com TV a cabo. Durante um tempo tive resistência ao Procon por achar que era perda de tempo. Porém hoje avalio fundamental esse procedimento", diz.

Com uma ação judicial em trânsito contra a TV a cabo, ela sugere aos consumidores não perdoarem falhas, já que os custos dos serviços não são baratos.

Para centrais elétricas, proporção é pequena

Em nota, a Celpa ressalta que todos os casos levados ao Procon são tratados com base na melhor solução tanto para o cliente quanto para a empresa. A concessionária pondera que, se levado em conta o fato de a empresa possuir cerca de dois milhões de clientes, o número de ocorrências registradas no órgão corresponde a menos de 0,02% do total de clientes da companhia, o que evidencia que a Celpa não lidera a lista de reclamações.

A concessionária também informa que possuía vários clientes que não eram lidos regularmente, que eram faturados pela taxa mínima ou que não tinham sistema de medição. Para mudar isso, a empresa reestruturou o processo de leitura e faturamento, por meio de manutenção e instalação de medidores, identificação das unidades consumidoras e regularização de clientes que pagavam apenas uma taxa.

Com isso, os clientes passaram a pagar pelo que realmente consomem. Em casos de faturas duplicadas, a Celpa orienta o cliente a entrar em contato com a concessionária via central de atendimento por meio do telefone 0800 091 0196.

Procon: Número de reclamações por empresa neste ano no Pará

1º Centrais Elétricas do Pará S/A (Celpa)

297 reclamações

2º - Cemaz Industria Eletrônica da Amazônia S/A

42 reclamações

3º - Y. Yamada SA Comércio e Indústria

26 reclamações

4º - Líder Comércio e Indústria Ltda.

25 reclamações

5º - TNL PCS S/A:

23 reclamações

6º - ASG dos Santos Serviços de Manutenção em Computadores Limitada (ME)

22 reclamações

7º - Companhia de Saneamento do Pará

21 reclamações

8º - Telemar Norte Leste S/A

21 reclamações

9º - Mabe Campinas Eletrodomésticos S/A:

18 reclamações

10º - Claro S.A.

16 reclamações

11º - Digitec Comércio e Serviços de Eletrônica

13 reclamações

12º - Electrolux do Brasil S/A

13 reclamações

13º - Magazine Liliani S/A

13 reclamações

14º - Sol Informática Ltda

11 reclamações

15º - Banco BMG S/A

10 reclamações

Total de reclamações do ranking

571

Total geral de reclamações recebidas pelo Procon este ano

1.042