Mais Acessadas

Caso Ana Karina: justiça nega habeas corpus a Alessandro

Empresário é acusado de ser o mandante da morte de Ana, em maio de 2010, em Parauapebas


Por: Redação ORM News Em 21 de março, 2017 - 09h09 - Polícia

Ana Karina. Foto: Facebook

Os desembargadores do Tribunal de Justiça do Pará, reunidos nesta segunda-feira (21), negaram o pedido de liberdade provisória em habeas corpus de Alessandro Camilo de Lima, acusado de envolvimento na morte de Ana Karina Matos Guimarães, em maio de 2010, em Parauapebas, sudeste paraense.

A mulher, que tinha 29 anos, estava grávida de nove meses quando foi assassinada. A defesa alegou que o prazo para a realização do julgamento do estava longo demais, já que a pronúncia dos acusados foi feita em 2011.

Segundo informações do Tribunal, os desembargadores não reconheceram o excesso de prazo, uma vez que o processo tramita normalmente e está na fase de preparação para o júri popular. Alessandro continua preso. 

Relembre o caso

Alessandro é apontado pelo Ministério Público do Estado como suposto mandante da morte. Conforme a denúncia, ele teria planejado o crime com o apoio de sua noiva, Graziela Barros de Almeida, e atraído a vítima para uma emboscada. Sob o argumento de que repassaria valores a Ana para as despesas do parto, marcou encontro com a vítima, levando-a para um local afastado, onde já aguardavam Francisco de Assis Dias, e Florentino de Souza Rodrigues, os outros dois acusados no processo. 

Ana foi morta a tiros, sendo depois colocada em um tambor que estaria na carroceria da caminhonete de Alessandro, e jogada no rio Itacaiunas, nordeste paraense. O corpo da vítima, que nunca foi encontrado, ainda teria sido perfurado para que permancesse no rio. 

Florentino, o único dos quatro acusados que desistiu do recurso em sentido estrito (através do qual questionou a decisão do juiz de determinar que fosse submetido a júri popular) foi julgado em fevereiro 2013, e condenado a 24 anos de reclusão pelo crime.