Caroço de açaí poderá se tornar fonte de energia

Estima-se que somente na Região Metropolitana de Belém existam cerca de dez mil pontos de venda do produto


Por: Redação ORM News com informações da Agência Pará Em 05 de abril, 2017 - 11h11 - Região Metropolitana

Convertido em biomassa vegetal, o caroço de açaí tem potencial para ser aproveitado por indústrias para geração de energia sustentável. Pensando nisso e trabalhando em prol desse intuito, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) assinou um Protocolo de Intenções com a Maísa Agroindústria e com a Associação dos Vendedores Artesanais de Açaí de Belém e Região Metropolitana (Avabel) na última terça-feira (4). 

Foto: Cláudio Santos / Agência Pará

Pesquisas indicam que somente na Região Metropolitana de Belém (RMB) existam cerca de dez mil pontos de venda de açaí, que produzem uma média diária de 200 quilos de resíduos (caroços) cada, com um volume total diário em torno de 1,6 a 2 toneladas, podendo chegar a 550 mil toneladas ao ano. Dessa forma, a ideia do projeto é utilizar todo o material restante do processamento do fruto do açaí, que pode se tornar fonte alternativa de energia, combustível, fertilizantes, além de outros (sub) produtos e insumos, reduzindo o impacto ambiental. Além disso, a longo prazo, a biomassa de origem vegetal possui sustentabilidade superior às fontes de energia tradicionalmente utilizadas, o que torna o reaproveitamento dos resíduos do açaí uma alternativa economicamente viável em oposição ao descarte.

Entre os compromissos firmados estão a instalação das unidades industriais para a produção de bio-óleo BPL (Biomassa Padronizada Liquida), carvão, extratos ácidos e energia elétrica.