Mais Acessadas

Brasil conquista vaga olímpica inédita na ginástica

País termina em sétimo lugar na classificatória por equipes, avança à final no Campeonato Mundial e se garante na Rio-2016


Por: Lance!Net Em 27 de outubro, 2015 - 07h07 - Mais esportes

Foto: Ricardo Bufolin/CBG

O principal objetivo do Brasil no Campeonato Mundial de Ginástica Artística, que está sendo disputado em Glasgow, na Escócia, foi atingido nesta segunda-feira. Pela primeira vez na história, o país classificou-se na competição por equipes masculinas para a disputa de uma edição de Jogos Olímpicos. 

O time formado por Arthur Zanetti, Arthur Nory, Francisco Barretto, Caio Souza, Lucas Bittencourt e Péricles da Silva desembarcou na Europa com o objetivo de quebrar um tabu no esporte nacional e garantir um lugar na Rio-2016. E a meta foi alcançada com o sétimo lugar nas eliminatórias. Os oito melhores times, além de avançarem para a final no Mundial, também asseguravam a vaga olímpica. 

Na soma dos seis aparelhos (argolas, solo, salto, barra fixa, barras paralelas e cavalo com alças), o Brasil somou 349.057 pontos, no domingo. Nesta segunda-feira, o grupo aguardou o encerramento da apresentação das últimas seleções para saber se ficaria com um dos oito lugares na Rio-2016, ou se precisaria disputar o evento-teste mundial em 2016, no Rio de Janeiro, para tentar a classificação. Mas o time pôde comemorar já em Glasgow a presença na Olimpíada no "quintal" de casa.

O país que liderou a disputa foi o Japão, com 358.884 pontos. Também estará na Olimpíada brasileira a China (segundo lugar), Grã-Bretanha (3º), Rússia (4º), Estados Unidos (5º), Suíça (6º) e Coreia do Sul (8º). 

A final por equipes em Glasgow será disputada nesta quarta-feira.

ARTHUR NORY É O GRANDE NOME DO BRASIL NAS ELIMINATÓRIAS 

Quem imaginou que Arthur Zanetti seria o líder do Brasil na disputa das eliminatórias no Mundial de Ginástica Artística na Escócia, se enganou. O ginasta tupiniquim que brilhou no tablado foi Arthur Nory.

Zanetti garantiu bons pontos para o Brasil no classificatório por equipes, mas falhou ao garantir uma vaga na decisão de sua especialidade, as argolas. Já Nory classificou-se para duas finais: no individual geral, e na barra fixa.

Foi neste aparelho que o paulista de 22 anos se destacou e conseguiu avançar à decisão com a terceira melhor nota (15.300), o colocando como candidato à medalha na decisão, neste domingo.