Mais Acessadas

Bowie descobriu que ia morrer antes da gravação de clipe

Detalhes dos últimos cinco anos de vida do cantor surgiram no documentário 'David Bowie: The Last Five Years'


Por: Omelete Em 06 de janeiro, 2017 - 15h36 - Música

Na próxima terça-feira (10), a morte de David Bowie completa um ano e, para marcar a data, a BBC vai estrear o documentário David Bowie: The Last Five Years, que conta os últimos cinco anos da vida do cantor.

Foto: Reprodução

Entre os detalhes divulgados pelo documentário, está o fato de que Bowie só foi descobrir que o câncer que tomou sua vida era terminal pouco antes da gravação do clipe de "Lazarus".

O documentário aborda a vida do cantor entre 2011 e 2016, passando pelo trabalho na produção de The Next Day - disco que marcou seu retorno a vida pública após dez anos -, e Blackstar, além da elaboração do musical Lazarus. 

Segundo a NME, o diretor do clipe, Johan Renck, diz que Bowie deu a notícia a ele pelo Skype logo antes da gravação. "Pensei que por um momento ele realmente parecia assustado, mas um segundo depois, ele fazia uma piada", afirmou. 

Os entrevistados pelo documentário afirmam que Bowie jamais deixou se afetar pela doença até os últimos momentos. "Durante seis ou oito meses, a doença nunca foi mencionada", complementa Renck, "e na minha visão, ele não era afetado por sua doença".

Renck também diz que Bowie literalmente escreveu os storyboards dos clipes de Blackstar. O diretor recebeu do cantor vários desenhos com um personagem chamado Buttoneyes, e uma roupa de astronauta com um esqueleto dentro. "Para mim, era Major Tom", opina o diretor. 

Os integrantes da banda de Bowie revelam que, após o ataque cardíaco que ele sofreu ao vivo no palco em 2003, o cantor diminuiu seu contato com o grupo por sete anos, até o pedido para tocar em The Next Day. Eles revelaram que, nesse período, Bowie estava mudando, encerrando o expediente às 18h em vez de levar as gravações noite adentro.

De acordo com eles, Bowie também tinha começado a ficar incomodado com seu status de celebridade, chegando a afirmar que ela só servia para conseguir "ingressos de shows, acesso ao backstage, mesas de restaurante" e, fora isso, "era um saco".