Mais Acessadas

Aumento do limite para imóveis deve injetar R$ 4,9 bilhões

O número equivale a 0,07 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB)


Por: Extra Em 17 de fevereiro, 2017 - 17h05 - Economia

Foto: Ilustração

O aumento do valor máximo de imóveis para utilização do FGTS terá um impacto de R$ 4,9 bilhões neste ano. O número equivale a 0,07 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB). Os números estão em um estudo da Secretaria de Planejamento e Assuntos Econômicos (Seplan) do Ministério do Planejamento. A estimativa é que a mudança resultará em R$ 490 milhões a mais em saques das contas vinculadas do FGTS, com potencial de comercialização de 4 mil unidades.

A alteração foi aprovada ontem pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e aumentou o limite máximo do valor do imóvel para utilização dos recursos do FGTS de R$ 950 mil para R$ 1,5 milhão. Isso só será válido para bens novos, adquiridos entre 20 de fevereiro e 31 de dezembro de 2017. Segundo nota da Seplan, “a medida vai contribuir para a retomada do crescimento”.

A medida foi anunciada na mesma semana em que o governo divulgou o calendário para saques de contas inativas do FGTS, uma tentativa de colocar mais dinheiro na economia e estimular o consumo. A permissão para saques desagradou o setor da construção civil, que viu na medida uma diminuição dos recursos para compra da casa própria. Por isso, o aumento do teto para utilização dos recursos do fundo na compra de imóveis veio como um alento ao setor.