Mais Acessadas

Réu que deixou vítima paraplégica é condenado a 12 anos

Deuzimar da Silva Brito foi atingido com seis tiros há 22 anos, na zona rural do município de Moju


Por: Redação ORM News com informações do TJPA Em 24 de março, 2017 - 17h05 - Pará

Após 22 anos do crime, o réu Osvaldo Cunha dos Santos foi condenado a 12 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado na noite desta quinta-feira (23). O homem foi julgado pelo crime contra Deuzimar da Silva Brito, que foi atingido por seis tiros na comunidade de Tracuateua, zona rural de Moju. O crime ocorreu no dia 4 de maio de 1995. O homem vai aguardar o recurso em liberdade, já que respondeu ao processo nesta condição. O júri foi presidido pelo juiz Waltencir Alves Gonçalves, titular da Vara Única da comarca de Moju.

Miguel Carvalho Maciel é acusado como sendo o mandante e idealizador do crime. Mesmo que os jurados não tenham acatado a tese de negativa de autoria, ele foi absolvido. Os dois foram pronunciados por tentativa de homicídio duplamente qualificado contra a vítima (art. 121, §2º, incisos I e IV, c/c art. 14, inciso II, parágrafo único, ambos do Código Penal).

Deuzimar da Silva Brito foi atingido por seis disparos de arma de fogo nas costas. Além de ter ficado paraplégico, o homem utiliza bolsa de colostomia e sonda. Osvaldo Cunha dos Santos foi denunciado como executor direto dos disparos e condenado pelo Conselho de Sentença, que rejeitou as teses de legítima defesa e desclassificação para lesão corporal gravíssima.