Após campanha, Albertinho diz que volta só depende do PSC

Atacante de 34 anos marcou época no clube no início dos anos 2000


Por: Carlos Fellip (ORM News) Em 14 de janeiro, 2015 - 15h03 - Parazão

Foto: Cristino Martins

Enquanto a diretoria do Paysandu busca por novos reforços, parte da torcida tratou de dar uma sugestão: Albertinho. O atacante de 34 anos entrou para a história do clube no início dos anos 2000, com gols na campanha da Copa dos Campeões e o polêmico ato de vestir a estátua do leão, mascote do Remo, com a camisa bicolor. Em entrevista exclusiva ao ORM News, o jogador se colocou à disposição para retornar à Curuzu.

Feliz com a campanha feita pela torcida para seu retorno ao Papão, Albertinho salientou que mantém a forma em uma academia. 'Eu sinto uma enorme felicidade vendo os torcedores fazendo campanha para eu voltar. Me sinto bastante honrado com tudo isso. Estou sem clube, mas me mantenho em forma em uma academia. Eu me cuido e me resguardo. Agora, se há possibilidade, só o Paysandu pode dizer', garantiu.

O último clube do atacante foi o Independente Tucuruí, por onde marcou um gol no Parazão 2014 e participou da campanha que deixou o clube na terceira colocação geral do campeonato. No entanto, o principal motivo para o retorno do jogador ao Bicola foi o desempenho da então promessa bicolor na era mais vitoriosa da história do Clube de Suísso.

Albertinho foi profissionalizado no Papão em 2000, quando o clube conquistou o título da Copa Norte. Em 2001, como opção de velocidade para o decorrer das partidas, o jogador ajudou a levar o Papão ao bicampeonato da Série B do campeonato brasileiro. Em 2002, ele subiu ao pódio como campeão da Copa dos Campeões, depois de ter feito um dos gols da vitória por 3 a 1 sobre o Palmeiras (assista abaixo), do então goleiro Marcos, recém campeão mundial com a seleção brasileira. A despedida aconteceu em 2003, quando o Paysandu participou da Libertadores da América, venceu o Boca Juniors no estádio La Bombonera e terminou a competição como dono da melhor campanha brasileira na história do certame.

Desde então, ele acumulou alguns clubes pela carreira. Logo depois do Bicola, transferiu-se para o Guarani (SP), onde ficou por pouco mais de um mês. Naquele mesmo ano de 2004, defendeu o Caxias (RS) por um ano. Em 2006, retornou ao futebol paraense passando por Ananindeua (2006/2007), Tuna (2008), Pinheirense (2008), Time Negra (2009), Independente (2009/2010/2011/2014).

Diante de tudo isto, Albertinho declarou: 'Quero deixar claro que, em nenhum momento, pedi para que isso (a campanha) fosse feito. Fui pego de surpresa por uma página (na internet) e fico muito grato a eles, que também motivaram o desejo de muitos'.