Mais Acessadas

Ação intensifica combate ao Aedes aegypti nos balneários

Operação Verão da Sesma visa visitar imóveis que ficam fechados durante o ano, exceto em períodos de férias, nos distritos de Mosqueiro e Outeiro


Por: Redação ORM News com informações da Agência Belém Em 07 de julho, 2016 - 17h05 - Região Metropolitana

Até o dia 30 de julho, os distritos de Mosqueiro e Outeiro, na região metropolitana de Belém, receberão ação de combate ao mosquito Aedes  aegypti, transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), o principal objetivo da ação é visitar imóveis que ficam fechados durante o ano nos distritos. Nestas localidades, as ações serão intensificadas com 100 agentes, que realizarão visitas domiciliares, redobrando os cuidados para prevenção contra o mosquito Aedes aegypti.

“Devido Mosqueiro e Outeiro serem regiões mais procuradas nas férias, temos dificuldades de realizar visitas no decorrer do ano. Por isso vamos aproveitar a temporada para alcançar o maior número possível de imóveis e, principalmente, orientar essas pessoas sobre como deixar a casa livre de focos de mosquito mesmo estando distantes”, disse o coordenador da Divisão de Controle de Endemias da Sesma, David Rosário.

A Operação Verão também prevê intensificação de abordagens educativas em portos, terminais rodoviários e hidroviários da capital. “Os veranistas podem frequentar áreas com potencial de risco para essas doenças, por isso é importante reforçar os cuidados junto à população e intensificar as ações de informação e educação”, acrescentou David.

Ocorrências

Neste primeiro semestre de 2016, foram confirmados 456 casos de dengue em Belém, sendo os maiores índices encontrados nos bairros do Marco, Pedreira e Sacramenta. Ainda de acordo com David Rosário, as visitas domiciliares continuam nos demais bairros de Belém. “Estamos com cerca de 800 agentes atuando no trabalho de combate ao mosquito. Esses profissionais identificam e eliminam possíveis focos e orientam a população a evitar a proliferação do mosquito, inclusive com denúncias pelo Disque Endemias”, explicou.

O Disque Endemias (3344-2466), da Divisão de Controle de Endemias da Sesma está à disposição da população para solicitações de vistorias ou denúncias de locais propícios à proliferação do Aedes aegypti.