Mais Acessadas

400 mil filhotes de tartarugas serão soltos no rio

Ação faz parte de um projeto que visa preservar a Amazônia


Por: Redação ORM News Em 06 de janeiro, 2015 - 11h11 - Amazônia

Mais de 400 mil filhotes de tartarugas da Amazônia nascidos no Tabuleiro de Monte Cristo serão soltos no rio Tapajós, no próximo sábado (10), como parte das ações do programa Programa Quelônios da Amazônia (PQA). O evento contará com apoio da comunidade envolvida no processo de preservação dos ninhos no último ciclo de desova em 2014.

O trabalho de preservação das tartarugas que culminará com a soltura dos filhotes neste sábado começou meses antes, com um processo de educação ambiental com a comunidade. A própria comunidade monitorou a praia, em parceria com o Ibama, durante o período de agosto de 2013 a fevereiro de 2014, para a remoção vegetal e de arbustos que pudessem dificultar o acesso das matrizes (fêmeas de tartarugas) durante a desova. Esses monitores voltaram às praias para outra limpeza e vigilância das covas contra predadores e depois remoção dos ovos para o berçário, onde eclodiram.

Durante o ano de 2014, também foi realizada fiscalização das áreas onde as tartarugas costumam por os ovos. As rondas fluviais eram feitas diariamente por toda a extensão das ilhas que formam o Tabuleiro, nas demais áreas de entorno e nas praias que nascem no rio Tapajós, com abordagens de pescadores e embarcações que trafegam no perímetro. Nessas ações foram retirados dos boiadouros, por todo o perímetro acima, 155 espinhéis e 202 camurins que eram usados na captura de quelônios, e foram resgatados 97 espécimes de tartarugas, em sua maioria indivíduos juvenis, sexualmente imaturos.

No destaque, o município de Aveiro

O projeto

O Programa Quelônios da Amazônia (PQA) foi criado em 1976 e atualmente é executado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama. O tabuleiro de Monte Cristo, localizado no rio Tapajós, é uma das áreas pioneiras na conservação de quelônios, onde a população de tartarugas da Amazônia (Podocnemis expansa) foi reintroduzida em 1978 com 400 fêmeas adultas, que produziram 11.040 filhotes.

A preservação das tartaturgas garante, indiretamente, a proteção de diversas outras espécies, tais como o peixe-boi, botos vermelho e tucuxi, diversas aves migratórias, répteis, anfíbios, e do pescado, recurso natural muito utilizado pelas comunidades ribeirinhas locais para consumo e renda.

A área de abrangência do programa é de cerca de cinco mil hectares, formada por cerca de dez ilhas interligadas por corpos hídricos, tais como igarapés, paranás e pequenas lagoas, no médio Tapajós, município de Aveiro, oeste do estado do Pará. A área tem como limite norte a vila de Brasília Legal e ao sul a comunidade de Barreira, localizada a 45 km do município de Itaituba, 62 km de Aveiro e 210 km de Santarém.