Mais Acessadas

Após reunião, agente afirma que Pistorius pretende voltar a treinar

Peet van Zyl alega que ainda é cedo para atleta sul-africano voltar a competir


Em 03 de abril, 2013 - 16h04 - Atletismo

Oscar Pistorius viu sua carreira congelar ao ser acusado do assassinato de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, em fevereiro. Aguardando ao julgamento, que será dia 4 de junho, em liberdade, o atleta paralímpico planeja voltar a treinar. Em entrevista à agência ''Associated Press'', o agente do biamputado, Peet van Zyl, afirmou que teve um encontro com seu cliente, nesta terça-feira, para definir o possível retorno aos trabalhos.

O empresário garantiu que Oscar Pistorius está ansioso com a volta e que só depende dele definir quando será o primeiro treino após toda polêmica envolvendo o crime.

-  Quando, exatamente, é uma escolha dele - disse o agente do atleta sul-africano.

Por outro lado, Peet van Zyl afirmou que ainda é muito cedo para falar sobre futuras competições. Ele alega que Oscar Pistorius ainda não está mentalmente pronto.

 Depois do nosso encontro ficou claro e evidente que ele ainda vai precisar de um tempo (para voltar a competir). Ele ainda está precisando processar todo esse calvário - explicou.

Na semana passada, o Tribunal de Pretória concedeu para Pistorius o direito de viajar para competir fora de seu país. No entanto, familiares do atleta afirmaram que o sul-africano não queria se expor em competições.

Sobre a possibilidade do corredor participar do Campeonato Mundial de Atletismo deste ano, em agosto, Peet Van Zyl ressaltou que, caso seja possível estar na principal competição da temporada, Pistorius precisa estar em forma. Ele não treina há dois meses.

- Ele não tem treinado desde o incidente e não se pode esperar que ele entre em uma competição agora. O mais importante é que ele ainda não está pronto mentalmente - completou.

No dia 13 de março, os advogados de Pistorius haviam apelado contra as condições de fiança do sul-africano. Eles afirmaram que o atleta não representa nenhum risco à sociedade e nem possui intenções de fugir do país. Eles também pediram o fim da proibição do atleta consumir álcool ou substâncias proibidas, apesar de garantir que o acusado 'não teria intenção de fazer uso'.

Pistorius, ganhador de seis medalhas de ouro nos Jogos Paralímpicos e único atleta biamputado a competir em uma edição de Jogos Olímpicos, em Londres 2012, é acusado pela promotoria de ter premeditado a morte de Reeva, alvejada com três tiros na residência do atleta em fevereiro. O velocista afirma que foi um acidente, e alega que confundiu a namorada com um ladrão escondido no banheiro, mas a acusação não acredita nesta versão e sustenta que eles brigaram pouco antes do crime, algo que a defesa questiona.

No fim de fevereiro Pistorius teve garantido o direito de responder ao caso em liberdade, porém, com uma série de restrições, dentre elas: estar disponível 24 horas por dia, não deixar o país, não possuir armas e não usar drogas ou consumir bebidas alcoólicas. O julgamento está marcado para começar no dia 4 de junho.

Fonte: globoesporte.com