Mais Acessadas

Participação de micro e pequenos fornecedores deve crescer 50%

Objetivo é beneficiar 1,5 mil empresas até o fim de 2013 em oito estados


Em 27 de novembro, 2012 - 15h03 - Negócios

A Vale e o Sebrae projetam ampliar em 50% a participação do segmento de micro e pequenas empresas (MPE) - que faturam até R$ 3,6 milhões por ano - nas compras da empresa. A parceria entre a Vale e o Sebrae, iniciada há dois anos, previa para até o fim de 2013 a presença de mil pequenos negócios na cadeia produtiva da Vale, mas a meta já foi ultrapassada: mais 500 novas micro e pequenas empresas em oito estados brasileiros - Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e Sergipe - serão beneficiadas pela parceria.

Os investimentos da Vale e do Sebrae na iniciativa, que inclui uma contrapartida das empresas participantes, são de R$ 15,8 milhões. As necessidades da Vale incluem transporte, manutenção de obras civis, reparo de máquinas e equipamentos e fornecimento de ferramentas diversas. Os compromissos com a parceria foram reafirmados pelo presidente nacional do Sebrae, Luiz Barreto, e pelo diretor de Suprimentos da Vale, Rodrigo Colombaretti.   

'A ideia central da parceria é preparar os pequenos negócios para fornecerem bens e serviços à Vale. Quando um micro ou pequeno fornecedor se qualifica e se cadastra numa empresa como a nossa, ele se credencia a se tornar um fornecedor de outras grandes empresas também. A partir daí, ele conquista autonomia, potencial de mercado e desenvolvimento', afirma Fábio Feijó, gerente geral de Suprimentos da Vale.

O Sebrae faz um diagnóstico da situação das micro e pequenas empresas que já negociam com a Vale e de outras potenciais fornecedoras. A instituição desenvolve um plano de qualificação para que elas possam suprir a demanda da companhia. São desenvolvidas orientações coletivas e individuais, conforme a necessidade das empresas participantes.

'Cada grande empresa tem suas necessidades específicas, com requisitos de compra e distribuição de seus produtos, por isso o Sebrae faz a ponte, identificando as oportunidades e preparando os pequenos fornecedores e distribuidores a serem mais competitivos no mercado', ressaltou o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. 'O resultado do encadeamento produtivo é positivo para todos os elos da cadeia'.

Inove - O projeto com o Sebrae é uma das linhas de ação do programa Inove, lançado pela Vale em 2008, voltado para a qualificação de fornecedores, especialmente os pequenos e médios. O Inove conta com linhas de crédito com taxas mais vantajosas, facilidades na aquisição de produtos e serviços e cursos de qualificação com baixo custo para os fornecedores, com o objetivo de torná-los mais competitivos.

Desde o início do programa foram liberados cerca de R$ 1,3 bilhão em financiamentos e créditos antecipados, em parceria com instituições financeiras, beneficiando mais de 450 empresas de pequeno e médio porte que fornecem para a Vale. Foram adquiridas mais de 3,7 mil licenças para os cursos online em todo o Brasil. Com todas essas ações, a Vale espera ter uma cadeia de fornecedores mais capacitada e, com isso, aumentar cada vez mais o índice de compra de produtos e serviços locais. Além disso, os fornecedores terão mais competitividade no mercado, estando aptos para atenderem clientes em todos os segmentos e em qualquer lugar do mundo.