Mais Acessadas

Nova tendência de mercado aponta para empresas que formam talentos

Especialistas dizem ser a saída para suprir a carência de mão-de-obra qualificada


Em 20 de setembro, 2012 - 17h05 - Negócios

Atitude, conhecimento e potencial criativo. Essas são três qualidades que podem caracterizar um funcionário talentoso em uma organização. Descobrir talentos é um retorno garantido sobre o investimento feito em pessoas, já que uma equipe formada por funcionários talentosos pode ser garantia de sucesso para os negócios. Mas o que algumas empresas começaram a fazer é investir bem mais cedo, já durante a fase de treinamento e contratação de funcionários.

Em Belém, a Academia Machida, que está em fase de ampliação, com a abertura de uma nova unidade no bairro da Pedreira no mês de agosto, deixa de ser uma empresa com conceito familiar para se tornar referência quando o assunto é empreendedorismo em artes marciais e bem estar. A primeira mudança nesse novo posicionamento no mercado foi a implantação de um setor de Recursos Humanos qualificado.

A nova unidade da Pedreira começou um processo de seleção de funcionários em todos os níveis, tendo como diferencial a gestão de talentos. Cerca de 260 pessoas responderam ao chamado para o processo seletivo. Desde o mês de julho, os 60 candidatos pré-selecionados passaram por palestras, entrevistas individuais e em grupo e treinamentos. 'Queremos profissionais comprometidos e qualificados em todos os níveis da organização, dos serviços gerais aos processos administrativos e atendimentos técnicos dos professores, pois um dos nossos diferenciais será sempre o bom acolhimento. Por exemplo, nossos professores de Educação Física terão habilidades para também atuar em vendas', justifica o administrador da nova unidade da Academia Machida, Ricardo Reis.

É o caso do Hernanes Júnior, recém-formado em Educação Física. Ele já exercia a profissão, mas nas palestras do treinamento identificou que precisava vencer certas dificuldades. 'Em Belém, não estamos muito acostumados a realizar tarefas multidisciplinares. Entender processos de outras áreas da academia deu novos horizontes para o meu trabalho. Não tinha nenhuma experiência na área de vendas, mas descobri que saber vender bem o que faço é importante pra mim como profissional e o aluno também fica mais confiante no serviço que vai comprar', avalia.

Estudos do Instituto Gallup, que atua na área de pesquisa em gestão de pessoas, indicam que, no geral, funcionários que têm a oportunidade de focar nos seus talentos todos os dias são seis vezes mais propensos a serem engajados com seu trabalho e três vezes mais predispostos a dizerem que têm uma ótima qualidade de vida. 'Estimulamos a busca incessante pelo conhecimento como fator de valorização profissional', afirma o administrador.

A jornalista por formação Jéssica Cordeiro foi contratada recentemente para a área de vendas na Academia Machida. Ela sempre trabalhou vendendo produtos e serviços de beleza e esporte. Lidar com o público é um dom que acredita ter aprimorado com o treinamento que enfrentou para a seleção. 'É bom sentir quando uma empresa valoriza aquilo que temos de melhor e que participa ativamente no processo de crescimento das pessoas. É empolgante quando vemos pessoas empenhadas em no capacitar para qualquer emprego, nos capacitar para a vida. E isso posso por em prática no meu dia a dia', se anima.

Investir na qualificação técnica e comportamental dos futuros funcionários é a solução para acabar com a deficiência de mão-de-obra preparada disponível no mercado. É o que acredita a gerente de RH Lilian Guedes, responsável por processos de recrutamento e seleção. 'As empresas ainda acham que o profissional tem que chegar completamente preparado, quando o interessante é trabalhar a mão-de-obra, adaptando e qualificando-a para as tendências de mercado e as necessidades da sua organização, é formar o profissional para a sua empresa. Dessa forma, fidelizamos os funcionários, que, consequentemente, fidelizam os clientes'.

E Lilian acrescenta. 'O investimento que a empresa faz é para o profissional, para a vida dele. Eles podem por em prática o que aprenderam em outros empregos assim sempre se melhora o mercado. Aqui fazemos isso e todas as empresas deveriam fazer o mesmo e ter um banco de talentos onde os candidatos que não forem contratados possam ser sempre possíveis funcionários no futuro'.