Mais Acessadas

Fiepa aproxima fornecedores paraenses do Projeto Belo Monte


Em 04 de junho, 2012 - 11h11 - Negócios

 


Nesta terça-feira (5), às 9h, a Federação das Indústrias do Estado do Pará, Fiepa, através da Rede de Desenvolvimento de Fornecedores, Redes, promoverá um encontro entre os fornecedores paraenses e representantes da Norte Energia e do Consórcio Construtor de Belo Monte, CCBM, responsáveis pela condução do projeto da usina Hidrelétrica de Belo Monte.


Será a primeira vez, na capital paraense, que acontecerá um evento que apresentará as demandas de implantação da usina, bem como cronograma e políticas de fornecimento. Além disso, para aproximar fornecedores e compradores será realizado, a partir das 14h, um encontro de negócios em que os gestores de suprimentos do projeto atenderão individualmente as empresas inscritas para o evento.


No evento também será assinado um convênio entre a Fiepa, através da Redes, e a Norte Energia para um atendimento especializado aos fornecedores de Belo Monte com a implantação de uma unidade local no município de Altamira. 'É fundamental para o êxito do projeto que existam fornecedores locais bem preparados na região e esse é o nosso papel. Nosso trabalho em Altamira permitirá a aproximação entre fornecedor e comprador . Além disso preparamos um Plano de Capacitação Empresarial focado para as necessidades das empresas locais, além de estudos, censo empresarial, e consultoria especializada', explica Luiz Pinto.


A usina hidrelétrica de Belo Monte está localizada na região do Xingu a 900 quilômetros da capital paraense. O empreendimento, que é fruto de um investimento de R$ 25,8 bilhões com a geração de 23.000 empregos diretos até 2019, é o maior investimento, de um universo de R$ 130 bilhões, previsto para o Pará nos próximos anos de acordo com a publicação Pará Investimentos da Fiepa.


'Este será o maior volume de recursos que será injetado em nossa economia em tão curto espaço de tempo. Nunca na história, o Pará recebeu um montante tão expressivo de investimentos em apenas quatro anos', declarou o presidente da Fiepa, José Conrado Santos, que enfatizou a importância dos empresários paraenses de se apropriarem destes recursos. 'Os investimentos são gigantescos, porém é preciso que os empresários genuinamente paraenses participem destes empreendimentos como forma de internalizar as riquezas'.


O investimento de Belo Monte traz consigo uma grande demanda de produtos e serviço que devem ser prioritariamente adquiridos no Pará para garantir a competitividade do projeto e impulsionar a economia paraense é o que acredita José Conrado. 'Os grandes empreendimentos têm essa característica de dinamizarem a economia, potencializando vários outros segmentos. Vejo esta como uma responsabilidade social, haja vista sua consequência para o crescimento da economia estadual e o desenvolvimento dos níveis socioeconômicos da população paraense', enfatizou o presidente da Fiepa.


'Acreditamos que o evento trará informações estratégicas para os empresários que desejam expandir seus negócios e buscam se tornar fornecedores de Belo Monte. Para a Fiepa e Redes é muito importante que esta aproximação exista, o projeto precisa conhecer o potencial de fornecimento que nosso estado tem, e que temos sim bons fornecedores capazes de atendê-los com excelência e qualidade', afirma Luiz Pinto,
coordenador geral da Redes.


Fonte: Ascom Redes