Mais Acessadas

Estados da Região Norte debatem articulação entre sistemas de ensinos


Em 26 de outubro, 2011 - 18h06 - Amazônia

 

Representantes dos sete Estados da Região Norte estão reunidos para traçar diagnósticos e encaminhamentos, voltados a uma melhor articulação entre os sistemas de ensino do país. Eles participam do Seminário Regional 'A Sase e a articulação com os sistemas de ensino', aberto nesta quarta-feira (26), no auditório do hotel Regente, em Belém. O evento é promovido pela Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (Sase), do Ministério da Educação (MEC).

 

Criada em maio deste ano, a Sase visa apoiar o desenvolvimento de ações para um Sistema Nacional de Educação, fortalecendo o regime de colaboração entre as unidades federativas, com assistência e apoio aos Estados e municípios na elaboração, adequação, avaliação e acompanhamento de seus Planos de Educação, entre outras ações. Participam do seminário dirigentes estaduais e municipais de educação, conselheiros e assessores técnicos do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Tocantins, Rondônia e Roraima.

 

Com 4,7 milhões de pessoas em idade escolar, as especificidades e a necessidade do reconhecimento da diversidade entre os Estados da Região Norte foram destaque na abertura do evento. De acordo com o secretário de Articulação com os Sistemas de Ensino do MEC, Carlos Abicalil, a partir dos seminários regionais a missão da Sase é desenvolver a tarefa de mediação, com toda diversidade e desigualdade das redes de ensino de todo o país, “para que possamos favorecer o reconhecimento dessa diversidade e consolidar o papel da União, de contribuir de maneira colaborativa com Estados e municípios na superação das desigualdades, na orientação técnica e financeira”.

 

Carlos Abicalil destacou a participação de representantes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e da Secretaria de Educação Básica do MEC, responsáveis pelos principais programas e políticas desse nível de ensino. “O seminário dá a oportunidade de diagnóstico e recolhe proposições que, sempre que possível, serão levadas a alguma instância colegiada, ou em mesa de negociação, caso a caso. Em diversos aspectos, como no transporte escolar, por exemplo, as especificidades da Amazônia têm um destaque reconhecido e inquestionável”, afirmou o secretário.

 

Assimetrias regionais - O secretário de Estado de Educação do Pará, Cláudio Ribeiro, destacou que a Sase é um pleito antigo da área de educação no Brasil e, particularmente, na Amazônia. “Não é possível fazermos um trabalho de qualidade se não tivermos juntos, todos os entes federativos”, ressaltou o secretário, ao destacar a importância da Sase para a mudança nos rumos do ensino. “A educação brasileira avançou muito na parte quantitativa e qualitativa. Mas, nesta última, ainda há muito para se avançar. Para que esse avanço seja sustentável é fundamental reconhecer as assimetrias regionais”, disse.

 

Cláudio Ribeiro ressaltou ainda que “a realidade da Amazônia é totalmente diferente do Sudeste do país e, mesmo na Amazônia, existem as assimetrias. "A gente enfrenta uma realidade que só quem vivencia é capaz de perceber”, disse o secretário, citando como exemplo os custos do transporte escolar e da merenda. “Muitas vezes, levar a merenda é mais caro que comprá-la. O Plano Nacional de Educação vai balizar toda ação da educação básica a partir do momento em que ele for aprovado. Isso significa que nós também temos que trazer as nossas realidade e apresentá-las”, informou.

 

Durante a programação desta quarta-feira foram apresentadas as diretorias de Cooperação e Planos de Educação, de Articulação dos Sistemas de Ensino, Valorização dos Profissionais da Educação da Sase. À tarde, Grupos de Trabalho foram formados para diagnosticar as ações já realizadas em cada Estado. Nesta quinta-feira (27), a programação será reiniciada às 8h30, com a mesa redonda “O Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), o Plano de Ação Articulada e o Plano Nacional de Educação”. A plenária final será às 16h15, com o relato dos grupos e encaminhamentos.

 

 

Fonte: Agência Pará