Mais Acessadas

Desmatamento diminui na Amazônia Legal em relação a 2010


Em 10 de setembro, 2011 - 08h08 - Amazônia


  
 
O desmatamento em julho deste ano na Amazônia Legal atingiu uma área de 93 quilômetros quadrados, o que representa redução de 40% em relação a julho de 2010, quando o desmatamento somou 155 quilômetros quadrados. Desse total, 41% ocorreram no Pará, seguido por Mato Grosso (23%), Rondônia (18%), Amazonas (14%), e o restante no Amapá, Acre e Tocantins. As informações são do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, com base no Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), através da Transparência Florestal. Segundo o Imazon, o desmatamento acumulado no período de agosto de 2010 a julho de 2011, correspondendo aos doze meses do calendário atual de desmatamento, totalizou 1.628 quilômetros quadrados. Houve um aumento de 9% em relação ao ano anterior (agosto de 2009 a julho de 2010), quando o desmatamento somou 1.488 quilômetros quadrados.


Considerando os doze meses do calendário atual de desmatamento (agosto de 2010 a julho de 2011), Mato Grosso lidera o ranking, com 37% do total desmatado no período. Em seguida aparece o Pará, com 26%, seguido por Rondônia, com 21%, e Amazonas, com 11%. Esses quatros Estados foram responsáveis por 95% do desmatamento ocorrido na Amazônia Legal neste período. O restante (5%) do desmatamento ocorreu no Acre, Roraima, Tocantins e Amapá.


Em termos relativos, houve aumento de 800% no Tocantins, 106% em Rondônia, 76% no Mato Grosso, 15% no Amazonas, e 6% no Acre. Por outro lado, houve redução de 84% em Roraima e 40% no Pará.


Em termos absolutos, Mato Grosso lidera o ranking do desmatamento acumulado com 603 quilômetros quadrados, seguido por Pará (423 quilômetros quadrados), Rondônia (338 quilômetros quadrados) e Amazonas (187 quilômetros quadrados).


Já as florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 116 quilômetros quadrados em julho de 2011. A degradação florestal acumulada no período de agosto de 2010 a julho de 2011 totalizou 6.389 quilômetros quadrados. Em relação ao período anterior (agosto de 2009 a julho de 2010) houve aumento expressivo (241%), quando a degradação florestal somou 1.873 quilômetros quadrados.


Em julho deste ano, o desmatamento detectado pelo SAD comprometeu 6,6 milhões de toneladas de CO2 equivalente. Esses dados representam uma redução de 27% em relação a julho de 2010.

 

Fonte: Amazônia