Mais Acessadas

Pedestre enfrenta armadilhas urbanas


Por: 1 Em 06 de abril, 2011 - 09h09 - Região Metropolitana


Lixo e buracos abertos em ruas e calçadas são armadilhas para pedestres na Região Metropolitana de Belém. No Marco, um bueiro que teve a tampa roubada permanece aberto há pelo menos dois meses. Na travessa Humaitá, ainda no Marco, o lixo depositado na calçada por uma lanchonete empurra os pedestres para o meio da rua. No Una, em Ananindeua, uma cratera no meio da pista há quase três anos por pouco não tragou uma adolescente no último final de semana.


Pedestre caminha pela rua para evitar o lixo na calçada da Humaitá com a Duque


Com mais de um metro de diâmetro, o buraco impede a passagem de carros pela rua São João, principal acesso ao loteamento Nova República, no Una, em Ananindeua. No último final de semana, uma menina de 13 anos quebrou o braço ao cair nele durante uma chuva forte. 'Não foi o primeiro acidente', diz Maria Miranda, moradora há 18 anos da rua São João.


O buraco no meio da Rua São João, no Una


O buraco surgiu a partir de uma obra de saneamento e pavimentação, iniciada no ano passado, com recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e interrompida quando se iniciou o período de chuvas. A comunidade cobra a retomada da obra e uma solução definitiva para o buraco em um abaixo-assinado à prefeitura de Ananindeua.

 

Fotos: Camila Lima e Fernando Araújo (O Liberal)

 

Para ver a matéria completa assine O Liberal Digital.