Mais Acessadas

76% dos contribuintes paraenses ainda não apresentaram a declaração de IR


Em 31 de março, 2011 - 19h07 - Economia

 

Após o primeiro mês de entrega da Declaração de Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2011, a Receita Federal registrou no Pará o recebimento de 104.016 declarações durante o mês de março. O montante contabilizado até agora representa 24% do total de 430 mil documentos que a Receita espera receber no estado até 29 de abril, data em que será encerrado o prazo de entrega das declarações do IRPF 2011.

 


De acordo com a Receita Federal, os números encontram-se dentro da expectativa do órgão e o ritmo de entrega permanece quase o mesmo do ano passado, ou seja, em período igual foram entregues 102.356 declarações. A expectativa é que o ritmo de entrega cresça em abril, principalmente na segunda quinzena do mês. Porém, a Receita Federal alerta que não é
recomendável deixar para apresentar a declaração na última hora.

 


Já na 2ª Região Fiscal, que é composta pelos estados do Norte, exceto o Tocantins, a Receita Federal ainda espera por 781.380 documentos. No Pará a Receita ainda espera receber 325.984 declarações.

 


No Amazonas, para fechar a conta de 280 mil documentos esperados pelo Leão, ainda restam 205.954. Em Rondônia, onde a Receita aguarda um total de 165 mil declarações do IR, ainda são esperados 123.190 documentos.

 


No Amapá o Leão Federal ainda aguarda 46.520 declarações de um montante de 67 mil esperadas. Já no Acre restam 40.224 documentos dos 60 mil aguardados pela RFB; e em Roraima a quantidade de declarações ainda por entregar chega a 39.508 de um total de 53 mil que correspondem à expectativa da Receita.

 


A DIRPF deve ser elaborada por meio da utilização do Programa Gerador da Declaração (PGD), relativo  ao exercício de 2011, disponível no página da RFB na Internet (www.receita.fazenda.gov.br).

 


Os  contribuintes devem apresentar sua DIRPF pela utilização do programa de transmissão Receitanet (disponível no mesmo endereço eletrônico citado acima  ou em disquete em qualquer agência do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal, durante seu horário de expediente. Não há mais a opção de apresentação em formulários.

 


Quem  deixar para entregar sua declaração após o prazo está sujeito à multa de 1% (um por cento) ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido nele apurado, ainda que integralmente pago. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74.

 

 

Fonte: Receita Federal