Mais Acessadas

Polícia já tem dois suspeitos da morte e universitário


Em 20 de maio, 2010 - 13h01 - Polícia

 

 


De suspeito à testemunha o homem detido pela Polícia Militar ontem à noite, às proximidades do local onde o estudante universitário Roberto Ribeiro Lobato, de 22 anos, foi morto, revelou, na manhã desta quinta-feira (20), o nome de dois suspeitos do crime. Segundo informou a testemunha, seriam dois irmãos. Agora a polícia faz buscas para tentar localizá-los.

 

 

A testemunha contou à delegada Míriam Sabá, da delegacia de Crimes Contra Pessoa, da Seccional do Comércio, que viu a ação dos dois bandidos. 'Ele contou que estava em um bar assistindo a um jogo de futebol e viu como o crime aconteceu, apontando dois irmãos como os autores do mesmo', revelou o assessor de imprensa da Polícia Civil do Pará, Walrimar Santos.

 

 

De suspeito a testemunha- Um homem, cujo nome não foi revelado pela polícia, detido pela Polícia Militar na noite do crime, foi recolhido até a Seccional do Comércio para averiguação porque estava sem nenhum documento de identificação.

 


Na mesma noite ele fez exame de pólvora combusta no Centro de Perícias Renato Chaves, que deu negativo, afastando a suspeita que ele tenha sido o autor dos disparos.

 

Em depoimento ele informou à polícia que presenciou o crime  e prestou informações sobre os suspeitos.

 

 

Caso- O presidente do Centro Acadêmico de Odontologia da Universidade Federal do Pará (UFPA) Roberto Ribeiro Lobato, de 22 anos, foi morto a tiros quando se dirigia da casa dele, no bairro da Cidade Velha,  para a universidade, por volta das 19h30.

 


O crime ocorreu na avenida Bernardo Sayão, próximo à rua Veiga Cabral. Roberto ia pegar um ônibus para a UFPA.
 

 

As circunstâncias do crime ainda não foram exatamente esclarecidas. Ainda não se sabe, por exemplo, se são dois os acusados do crime. Surgiu inclusive a informação de que seriam três.

 

A UFPA decretou três dias de luto pela morte do estudante.

 

 

Redação Portal ORM