Mais Acessadas

Pará ganha novo Instituto de Ciências Jurídicas


Em 19 de março, 2010 - 11h11 - Negócios



A Unama (Universidade da Amazônia) inaugura oficialmente nesta sexta-feira (19), o Instituto de Ciências Jurídicas. A solenidade de inauguração será realizada no campus Senador Lemos, sede do instituto. O evento contará com vários convidados ilustres, entre eles o presidente nacional da Ordem de Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante Júnior, que ministrará Aula Magna do ICJ, e o desembargador Marcus Antonio Faver, presidente do Colégio Permanente de Presidentes dos Tribunais de Justiça do Brasil, que na oportunidade falará da importância de um centro desse porte para a região. O ICJ, que abriga cerca de 2.800 estudantes, é inédito entre as instituições privadas de ensino superior de Belém.

Desenvolvido para acolher todos os projetos oferecidos pelo curso de Direito da Unama, o Instituto de Ciências Jurídicas integrará, até o segundo semestre deste ano, as áreas de graduação, pós-graduação stricto sensu (Mestrado), estágios, pesquisa e extensão. Deste modo, os universitários ficarão mais próximos do mestrado e da iniciação científica, com a vantagem de não precisarem sair do campus em que estudam. Dentro do instituto, os alunos terão a chance de participar de todos os estágios oferecidos pela instituição.
 

“O ICJ vai abrigar todo o ensino jurídico da universidade, incluindo serviços, como o Escritório Técnico de Assistência Jurídica e Judiciária - ETAJJ, Ministério Público e a Comunidade, 4ª e 5ª Varas Cíveis, Juizado Especial Civel e Criminal, Consema e o Tribunal do Júri, sendo a Unama a única instituição do Brasil que faz sessões simuladas e reais. Diversos serviços serão disponibilizados para a comunidade interna e externa”, adianta a diretora do ICJ, professora Cristina Lourenço.

Ensino na prática - Aliar prática à teoria tem sido uma das grandes preocupações dos alunos dessa área, e o instituto também tem como objetivo ajudar esses novos bacharéis a aprofundarem conhecimentos e se inteirarem da evolução no campo do direito e nas especificidades da Justiça.

No centro, os alunos ainda dispõem de uma biblioteca exclusiva, com livros voltados tanto para a graduação quanto para a pós-graduação. A biblioteca do ICJ possui o maior e mais moderno acervo de publicações do segmento jurídico: são 9.300 livros e 7.200 títulos.

Mas as novidades não estão apenas no novo campus, pois o curso traz, também, novidades no projeto pedagógico. A partir do 5º semestre, além das disciplinas que já estão na estrutura curricular, os estudantes optarão por uma linha de estudo e pesquisa desenvolvida no mestrado da instituição. Para a coordenadora, o novo projeto pedagógico oferece, já na graduação, os conhecimentos adquiridos pelos mestrandos. “Os alunos passarão a estudar, ainda no curso de graduação, as duas linhas de pesquisas desenvolvidas no mestrado. Ou seja, eles adquirem desde já um maior conhecimento dos conteúdos ministrados na pós-graduação”, explica Cristina Lourenço. 

Atendimentos à comunidade - Mais do que concentrar serviços, graduação e pós-graduação, o Instituto vai possibilitar aos estudantes uma aproximação ainda maior com a pesquisa e a extensão, principalmente, com a comunidade que vive no entorno do prédio. “O ICJ também tem o dever de concretizar a missão da universidade, que é ‘Educação para o desenvolvimento da Amazônia’, transformando a realidade do local. A ideia é realizar projetos de extensão que façam com que os alunos conheçam a realidade da população e a ajudem a resolver os problemas enfrentados”, afirma a coordenadora.

De acordo com Cristina Lourenço, a ideia também é a ampliar os atendimentos do ICJ à comunidade, em especial às pessoas carentes. O instituto contabiliza até 2009, mais de 65 mil processos iniciados, com 80% deles julgados. As maiores demandas estão na área de conciliação, pensão alimentícia e guarda dos filhos.

Redação Portal ORM