Mais Acessadas

Úlcera de córnea é tema de teleconferência em hospital


Por: Fonte: UFPA Em 12 de novembro, 2008 - 12h12 - Saúde

Na tarde desta quinta-feira(13), os oftalmologistas José Jesu Filho e Érica Tomioka ministram uma teleconferência sobre Úlcera de Córnea por uso de lente de contatos. A palestra será transmitida pela Rede Universitária de Telemedicina (Rute) da Universidade Federal do Pará (UFPA) para médicos, residentes e estudantes de medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA), além da participação das equipes multidisciplinares do hospital na capital paraense. A Rede Universitária é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia, apoiada pela Financiadora de estudos e Projetos (Finep).

A úlcera de córnea é uma patologia em que há uma perfuração da córnea (estrutura transparente em forma de cúpula que protege a íris e o cristalino) devido a uma infecção por bactéria, fungo ou vírus. As úlceras bacterianas são as mais freqüentes. Os sintomas mais habituais são olho vermelho, dor ocular, incômodo com a claridade e diminuição da visão.

O Hospital Bettina, referência em Oftalmologia na região norte, tem constatado um surto de úlcera de córnea no Pará por uso indevido de lentes de contato, que são adquiridas me camelôs, feiras livres, óticas e, inclusive, sem orientação de um especialista da área.  De janeiro a outubro deste ano, 30 pacientes deram entrada no hospital com lesões graves na córnea por este motivo.  Alguns deles com perda irreversível da visão.

A oftalmologista, chefe do setor de córnea do Hospital Bettina, Paula Caluff, explica que o uso de lente precisa de avaliação e de adaptação e que em hipótese alguma as lentes de contato devem ser compradas sem receita médica. 'Somente um especialista pode receitar o uso da lente. Ela é um excelente recurso de correção óptica, em portadores de doenças refrativas oculares, servindo também para melhora da estética, através da mudança na coloração dos olhos ou por reduzir a dependência dos óculos, mas se mal adaptada pode provocar doenças oculares graves'.