Mais Acessadas

De olho no Google, Microsoft turbina buscas


Por: Fonte: G1 Em 07 de março, 2007 - 11h11 - Tecnologia

As buscas na internet estão entre os principais focos da Microsoft, como mostrou a empresa no evento Techfest, realizado nesta semana em Washington (EUA).

Para ganhar vantagem em relação ao Google e Yahoo!, seus principais concorrentes nesse mercado, a gigante do software desenvolveu sistemas que devem refinar os resultados. Algumas das novidades devem estar disponíveis ainda neste ano.

A ferramenta Mix, prevista para ser lançada em até nove meses, coleta informações de diversas fontes - sites, bancos de dados, disco rígido do computador - e integra tudo isso em um único documento, que pode ser “facilmente enviado para amigos, familiares e colegas de trabalho”, segundo a companhia. “Pense no Mix como uma gigante página de recados [scrapbook]. Você pode colocar nela fotos digitais de sua família, e-mails que trocou com parentes e links dos lugares que vocês já visitaram juntos. Então, é só enviá-la para quem quiser”, explicou o vice-presidente de buscas da Microsoft, Rick Rashid.

A executiva Susan Dumais, também especialista em buscas, fez a demonstração de um sistema chamado Personalized Search (busca personalizada). Ele reúne centenas de resultados encontrados na internet e então utiliza o Desktop Search para identificar o tipo de conteúdo armazenado pelo usuário em seu computador,  dessa forma, aumentam as chances de a ferramenta entregar aquilo que realmente interessa ao internauta. Ao procurar o termo “Michael Jordan”, esse sistema vasculhou os dados no disco rígido de sua máquina e “entendeu” que ela buscava um pesquisador da Universidade da Califórnia, em Berkeley, e não o jogador de basquete.

'No futuro, as buscas não devem ser em nada parecidas com o que temos hoje. Se em dez anos ainda estivermos usando a caixa retangular e uma lista de resultados, eu devo ser demitida', brincou Dumais. Segundo o jornal “New York Times”, a gigante dos softwares vem mostrando pouco progresso para alcançar o Google, mas acredita que ainda pode virar a mesa, melhorando a qualidade de sua ferramenta de buscas e também a maneira como os internautas procuram informações.

Segundo a empresa de pesquisas Nielsen/NetRatings, o Google tem 53,7% de todo o mercado de buscas, enquanto a Microsoft fica com 8,9%.