Núria Juelma, a angolana mais paraense, é da Asbep.

Fotos: Cristino Martins