22 de setembro, 2015 - Belém

Um condomínio chamado Brasil


Esses dias atrás um amigo estava me contando uma estória de um condomínio chamado Brasil (ou seria história com “h” mesmo?), me disse da confusão que estava lá. 

Segundo ele até 1994 as coisas lá eram muito bagunçadas, tinha uma tal de correção monetária que matava qualquer planejamento dos síndicos anteriores, mas entrou um novo chamado Fernando que arrumou isso, deixou a coisa bem redonda, óbvio que um monte de coisas ficaram ainda sem solução, imagina um condomínio enorme com vários blocos chamados de regiões e com anos de esculhambação total, não arruma tudo de uma hora para outra, mas pelo menos conseguia-se organizar as contas e tentar ir arrumando as outras coisas.

Como o mandato dos síndicos é de 4 anos, durante duas eleições o seu Fernando se elegeu e reelegeu, mas depois não fez o sucessor e assumiu o novo mandatário do condomínio o Seu Luís, conhecido como “o Barbudo”. Esse síndico apesar de ter muito pouco estudo, como diz no interior “de besta não tem nem a sombra” manteve quase tudo que o seu Fernando tinha feito e ampliou cada uma das bases dessas ações, obviamente se o que estava bom foi ampliado, o barbudo foi eleito duas vezes também, só que ele era mais desligado das despesas do condomínio e aproveitou que estava num momento muito bom recebendo uns valores a mais de umas taxas extras chamadas commodities e aí com mais dinheiro fica mais fácil. Ele baixou até a taxa do condomínio e fez um monte de evento gratuitos aí a galera foi ao delírio e o barbudo indicou a filha de criação dele que se chama Vilma, mas também, como o pai tem apelido que é mais conhecida: “a dentuça”.    

Só que ela quando assumiu o condomínio as contas estavam meio ruins, mas ela pôs a culpa na prefeitura, na falta de chuva que fez comprar carros pipas e nos problemas elétricos, ou seja todo mundo tinha culpa, até o seu Fernando que levava a maioria das culpas, pois só fez estabilizar a economia condominial, mas nada (como se isso fosse pouco!), segue a procissão e cuidado que o santo é de barro!!. 

Passado o primeiro mandato a Dentuça, buscou um monte de argumentos e balancetes para mostrar que tudo estava bem e que ia melhorar, os blocos da esquerda eufóricos deram apoio e os blocos da direita que tem menos moradores acabaram não se mobilizando de maneira correta, resultado mais um mandato da dentuça.

Aí que o “caldo entornou”, o conselho fiscal descobriu que teve um monte de roubo nas operações dos carros pipas, de energia elétrica e de combustível do gerador, mas era muita grana mesmo, chamaram a polícia e começaram a prender um monte de gente, e como sabem tem bode bom e tem bode que berra e uns começaram a berrar e contar o que sabiam e acabou a união, chamaram esse processo de Lavanderia, do jeito que foi tudo ligeiro, deviam chamar lava-jato, mas cada um chama como quer, não é verdade?

Descobriram também que durantes os anos anteriores ela postergou pagamentos de contas do condomínio para frente, só que agora não tem dinheiro, como se em vez de correr uma corrida, ela subisse numa bicicleta e pedalasse para enganar os fiscais, só que deu ruim para o lado dela, eles pegaram essa “esperteza”.

Para completar agora ela apresentou um orçamento para este ano com 30 bilhões de “Estalecas” de déficit, já pensou 30 bi??? Como diz aqui no Pará: “té doido é”? Aí o conselho fiscal foi olhar com calma o orçamento e viu que as despesas são todas reais e realizáveis, ou seja, não tem para onde correr vão acontecer, mas que as receitas já estão com as que ela, a dentuça, está propondo como a taxa de Complementação Para Melhorias Financeiras, conhecida no condomínio como CPMF – além da taxa extra para Apartamentos de mais quartos (de gente mais rica, sabe como é? – Só que tem gente nesses apartamentos que não tem tanto dinheiro e já está sendo considerado rico no condomínio Brasil), ou seja, se nada disso for aprovado a diferença sobe para 70 bilhões de Estalecas – é muito dinheiro, mas muito mesmo!!!

 Aí para completar o pessoal do conselho legislativo, comandado pelo morador do bloco do Sudeste, um tal de Cunha, tem “apertado” a dentuça, só não se sabe para melhorar algo ou para criar dificuldades para vender facilidades?! Até esse Cunha está enrolado na investigação da Lavanderia, aí fica difícil saber como vai ficar.

Enquanto esse povo briga, os moradores, estão com apartamentos caindo aos pedaços, as áreas comuns destruídas, o banco tem executado a maioria das contas em atraso, pois muitos perderam emprego, já que o condomínio e seu moradores estão todos os dias nas páginas policiais do jornal e quem quer contratar gente assim? Sem contar que a conta bancária do condomínio que tinha limite, cartão de crédito, agora perdeu o selo de bom pagador, o gerente do banco cortou tudo e como fica agora organizar essa bagunça e sem dinheiro?

Tem gente querendo tirar a dentuça para o vice síndico narigudo assumir, mas muitos torcem a boca, pois ele é muito enrolado e tem uma turma muito mais enrolada que ele, que vivia de amores com seu Fernando e hoje falam mal que só e agora vivem brigando com a dentuça, que já amaram e com o barbudo que já amaram também, ou seja confiança passa longe dessa turma. Outra parte do condomínio quer tirar todo mundo e fazer nova eleição, ainda tem um grupo que quer implodir o condomínio e começar de novo e tem um povo que, depois que soube que com esses problemas todos, a síndica dentuça emprestou dinheiro que não tinha para o Venezuela Garden e o Cuba Condomínio da Ilha, outros condomínios que não tem nada a ver com o Brasil e que só porque  ela gosta dos síndicos de lá, mandou a grana, eles querem mudar para dois condomínios de luxo, um na avenida Europa com vários blocos e outro que é um condomínio horizontal chamado USA, quer dizer um monte de gente legal indo embora.

Uma pena que um condomínio tão bacana como esse que era o Brasil esteja passando por isso, tanta gente boa mora lá, mas a situação está difícil, quem sabe se todo mundo se inteirar de verdade do que está acontecendo pode ser que melhore, mas normalmente ninguém quer saber de se envolver, vamos ver o que dá, mas a história que me contaram queria compartilhar com vocês. Fiquem na paz e lembrem-se: Pouca conversa e resultado sempre dá certo!