02 de maio, 2017 - Belém

O motivo da esculhambação chamada Brasil. (Pelo menos um deles.)


Há cerca de uma semana estive em uma agência bancária que não vou citar de qual banco por não fazer a menor diferença, e presenciei uma enorme discursão que por pouco não acabou em tragédia, mas que retrata bem este Brasil.

                        Como sabemos (sabemos?!) em Belém do Pará existe a lei 8831/2011 que proíbe uso de celular ou qualquer dispositivo de comunicação dentro de agências bancárias, que foi feita para poder inibir o crime conhecido como “saidinha” quando pessoas dentro de agências dão informações sobre saques e movimentos de pessoas naquele banco para comparsas do lado de fora que abordam os clientes que acabam de sair e realizam o assalto. Ocorre que tem também a lei 8020/2011 (alterada pela lei ordinária 9005/2013) que limita o tempo de espera ao cliente para seu atendimento nas agências bancárias, que em véspera de feriados (como era o caso) devem ser atendidos em até 30 minutos para ser atendido.

                        O segurança da agência de maneira muito educada abordou uma moça que usava o celular discretamente enquanto esperava ser atendida, pedindo para que ela não usasse o aparelho conforme previsto na lei, aí começou a confusão. Um rapaz ao lado dela e sem relação com a mesma, de maneira muito alterada disse ao segurança que se a lei do celular estava sendo cumprida, queria que a lei da esperava também fosse, obviamente não falou tão educadamente e sim com palavrões e insultos ao segurança que retrucou com palavras de baixo calão e o rapaz fez menção em agredir fisicamente o guarda que prontamente de arma em punho aguardou o ataque, mas aí a turma do “deixa disso” entrou em cena e com isso os ânimos se acalmaram.

                        Olhando essa situação vem as minhas perguntas (esse é o mal de escritor observando as coisas do dia-a-dia): Se a lei do celular não é cumprida, o segurança pede corretamente que a pessoa cumpra a lei (já que é lei tem que ser efetivada), mas e a lei da espera que quase nunca é locupletada o cliente reclama para quem? Não me venham dizer que para o órgão do consumidor, porque isso além de ser burocrático demais a chance de dar em alguma coisa realmente que importe (leiam dinheiro em boa quantidade na multa ao infrator pelo não cumprimento da lei) é pouco provável, aliás, antes dessa discussão precisamos analisar que o cidadão fica muito tempo esperando para ser atendido e tem seu direito de trabalhar, de se comunicar e de produzir usando seus equipamentos de comunicação bloqueado por uma lei que visa “tampar o buraco” da incompetência pública em não poder gerar segurança para o cidadão, que também tem esse direito garantido em lei. Aí vem a segunda parte da briga que perpassa por agressividade pessoal e desequilíbrio, mas que mostra como a população está sem paciência para mais nada e com isso acaba deixando de cumprir suas obrigações por não perceber que recebe seus direitos de volta e então, sejam bem vindos ao caos social. Em tempo eu esperei 1h15 para ser atendido e sem usar o celular.

                        Na semana seguinte ouvindo o relato de uma funcionária que fora fazer um depósito num banco público e me dizia que reclamou ao funcionário deste, por ter o mesmo recebido antes dela um valor alto de depósito e estava arrumando as notas para ficarem todas do mesmo lado e na mesma direção, uma a uma, o que irritou muitos da fila que já esperavam serem atendidos há muito tempo. Indagado o funcionário sobre a necessidade de tal “esmero” o mesmo disse que ia fazer como estava fazendo e quem estivesse com pressa que fosse embora, revolta causada e muitos na fila gritaram que o mesmo deveria ser demitido, ao que o mesmo respondeu em deboche: Tenho estabilidade e não é a “raivinha” de vocês que vai me demitir e em seguida chamou o segurança para acalmar os ânimos. Dessa história tiro a terrível presença desse mal: a estabilidade do setor público. Algo muito difícil de ser entendido por estrangeiros ao longo do mundo onde já estive e tentei explicar. Todos me perguntam: Mas se o cara for incompetente fica? Fica amigos, fica de qualquer jeito. A atual reforma da previdência que é muito necessária, mas está sendo feito por gente incompetente e com isso aborrece todos, talvez seja a última esperança de frear o concurso público e fazer as pessoas irem empreender, senão daqui há alguns anos teremos hordas de servidores públicos sem receber seus salários e aposentadorias por falta de impostos gerados por empreendedores e isso não é exagero. Quando escrevi há uns 10 anos se persistisse a dinâmica de gastos e roubosos Estados não iam mais conseguir pagar salários, fui taxado de doido e irresponsável, vendo vários acontecimentos, entre eles o Rio de Janeiro, gostaria de voltar a falar com meus antigos acusadores, alguns já falecidos e que não viram isso se tornar realidade.

                        Num período que vemos dinheiro em cueca, meias-calças, mochilas, com valores de bilhões, dólares e euros jorrando e vemos ao nosso redor que nossa população não tem o mínimo de saúde, emprego, educação e saneamento, aliás palavras raras de serem proferidasem anos não eleitorais e o pior, que não nos damos conta que continuamos a discutir hoje coisas que ocupavam as rodas de conversa no século XVII, febre amarela, esgoto exposto, água não tratada e mortes por baleamento no meio das ruas, qual diferença para o velho oeste, seja ele norte-americano ou brasileiro

                        Vemos ainda as promessas utópicas de países como Venezuela e Cuba cada vez mais longe do prometido e no caso da república dos Castros com problemas sérios de garantir direitos humanos como no caso de desarmar a população e armar as milícias socialistas o que poderá nos próximos dias, após eu estar escrevendo este artigo,levar a um derramamento de sangue.

                        Voltando ao Brasil muitas pessoas tem me perguntado nas palestras e reuniões se acredito que a corrupção vai diminuir e respondo claramente: Não!!. O que vai ocorrer é a mudança dos métodos e a inserção de novos atores na cena da roubalheira. Querem começar a fazer algo realmente prático?

                        Coloquem uma lei que nos tribunais de contas e nos órgãos de controle, só podem ser empossados como chefes pessoas com formação na área e funcionários de carreira destes ou faça a escolha feita através de concurso público, excluam políticos desse processo, sim porque com tanto saque de bilhões e tanta movimentação de valores altos mostra claramente a falha desses órgão de monitoramento e controle, cadê o órgão de controle de movimentação financeiras (COAF) e cadê a Receita Federal e o Banco Central? Agora vai você depositar mais de dez mil reais na sua conta sem origem, vai!

                        Segundo coloque a eleição local, a chamada eleição distrital, para forçar diminuição dos custos de campanha e unifiquem todas as eleições em uma só data, nada de 2 em 2 anos, pois isso engessa e prejudica todo o trabalho. Apliquem a lei da ficha limpa e crie um impedimento para candidatos terem o mínimo de estudo (não me venham com testes de analfabetismo) para alguém que quer representar o povo.  Reforme os tributos e aplique conforme mostram uma das centenas de pesquisas que provam que com uma alíquota menor e pagável, a sonegação cai a quase zero e a arrecadação aumenta muito e além disso com redução dos impostos, é mais vantagem pagar tributo que dar propina ao fiscal. Reduzam a burocracia e coloquem gente que pensa para fazer a coisa acontecer,diminuam ao máximo as milhares de regulações e incluam muita tecnologia nos processose olhem o que o resto do mundo faz.

                        O Brasil tem uma enorme capacidade de se char mais certo que o mundo, vide o novo padrão de tomadas elétricas, que vou te contar, deviam procurar a criatura que pensou nisso e prender essa pessoa. Vamos olhar quem faz certo há anos e vamos copiar e melhorar, nosso povo tem mais facilidade de adaptação que qualquer outro então teríamos enormes chances de nos tornamos um lugar muito bom para todos.

                        Invistam muito em educação, mas não dinheiro, isso já tem muito, invistam em qualidade e processos e busquem resultados, resultados é que importam, isso que vai mudar esse país, só isso se começar agora que em até 50 anos pode mudar nossa história, outra medida em qualquer área levará mais de 200 anos.

                        Reformem a lei, e a apliquem fortemente, sejam impiedosos como todos que a desobedeçam e ajudem os que produzem a abrir negócios, são essas “formigas malucas” , chamadas empreendedores que fazem um país acontecer, lembrem-se só existe trabalhador seu houver empreendedor, hoje tiramos de quem produz e damos para quem só mama nas falhas do sistema, como o rapaz e o segurança do banco, não temos paciência para mais nada.Fiquem na paz e lembrem-se: Pouca conversa e resultado sempre dá certo!