10 de fevereiro, 2015 - Belém

Um talento por conta da “força da lua”


Desenha-se Pará x Amazonas na 2a fase da Copa Verde

Se Leão e Papão estão com classificação engatilhada à segunda fase da Copa Verde, os dois representantes do Amazonas estão ainda mais próximos, por terem vencido fora de casa. O Princesa do Solimões fez 2 x 0 no São Raimundo em Roraima e o Nacional fez 1 x 0 no Vilhena em Rondônia. Desenham-se confrontos Pará x Amazonas: Remo x Princesa e Paysandu x “Naça”. Seria apenas uma inversão dos duelos da segunda fase em 2014, quando o Leão Azul eliminou o Nacional e o Paysandu despachou o Princesa, garantindo Re-Pa na semifinal. O Independente, que também se credenciou para seguir na competição, teria como futuro adversário o Luverdense/MT, que ganhou do Tocantinópolis por 2 x 1, no Tocantins. A Copa Verde vai fechar a primeira fase no próximo dia 22. A segunda será disputada nos dias 8 e 22 de março, a terceira (semifinal) nos dias 5 e 15 de abril, a decisão do título nos dias 29 de abril e 6 de maio. A competição ficou bem mais “espraiada”, num período de três meses. Ano passado, foi disputada num período de dois meses e uma semana.

Um talento por conta da “força da lua”

Foto: Akira OnumaSe mantivesse o talento sempre associado à bravura, como na brilhante atuação contra o Rio Branco/AC, o remista Eduardo Ramos (foto) seria um nome top do futebol brasileiro. É uma pena que esse talento dependa da “força da lua”. Quando resolve suar a camisa, ele é absolutamente decisivo. A atuação de Eduardo Ramos no último domingo foi no nível das melhores que o fizeram Craque do Parazão 2013 com a camisa do Paysandu. Além de ter resolvido jogar, Eduardo Ramos teve com quem jogar. Ganhou a parceria de Bismarki, que, mesmo fora de forma, ditou a dinâmica de jogo do Leão Azul, no duplo papel de meia-atacante. O bom rendimento e a vitória sobre o Rio Branco coincidiram com a folga remista na rodada seguinte do Parazão. Isso permitiu o repouso, ontem, e oito dias de treinamentos na preparação para o jogo contra o São Francisco, dia 19, em Santarém. Além do novo ânimo do elenco, o treinador Zé Teodoro ganha tempo precioso para os reparos técnicos e ajustes táticos, assim como o preparador físico Ricardo Monteiro pode tirar a defasagem de Flávio Caça Rato, figura destoante na equipe, sobretudo por falta de agilidade. É um jogador com recursos técnicos para dar certo no time, desde que entre em forma.

Três peixes em sete dias na mesa do Papão

Haja peixe no cardápio dos bicolores. Três espécies em sete dias. Na quinta-feira, o Papão se engasgou com o Boto (Tapajós) em Santarém. Domingo, não conseguiu devorar o Peixe da Amazônia (Santos) em Macapá. O que irá acontecer amanhã? O Papão vai jantar ou se engasgar com o espinhoso Mapará (Cametá)? Se o mar está pra peixe, os bicolores que tratem de se adaptar aos duelos com aquáticos. Afinal, o adversário seguinte será o réptil Jacaré (Paragominas), que, embora sendo de água doce, também não será devorado sem fome. Isso mesmo! Sidney Moraes está cobrando apetite por gols no time bicolor. A cobrança está focada principalmente no jogo de Macapá, onde o Papão dominou o Santos, mas não traduziu o domínio no placar. No Parazão 2014, foi exatamente assim que o Paysandu perdeu para o Cametá (1 x 0) em plena Curuzu. Amanhã será o dia do reencontro no mesmo palco, numa noite que pode ser de jantar festivo ou de mais espinhas na garganta.  

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!