11 de março, 2015 - Belém

Três Re-Pas em 18 dias ou 4 em até 24 dias


Foto: Tarso Sarraf

Três Re-Pas em 18 dias ou 4 em até 24 dias

Só um Re-Pa está absolutamente garantido. No próximo dia 29, pelo Parazão, na quarta rodada do 2º turno. Mas tudo indica que Leão e Papão se reencontram na semifinal da Copa Verde, dias 5 e 15 de abril. Os dois rivais podem se enfrentar também na semifinal do 2º turno estadual (18 ou 19 de abril) ou ainda na final (21 de abril). Portanto, é muito provável que tenhamos três Re-Pas num período de 18 dias ou quatro em 21 ou 24 dias. A sucessão de Re-Pas deve ser providencial para as finanças dos dois clubes, com perspectiva de lucro em torno de R$ 1 milhão para cada. Até agora, as bilheterias só renderam cerca de R$ 300 mil a cada um dos representantes de Belém no campeonato estadual e na Copa Verde. Abril será mês de faturamento também na Copa do Brasil, com o Leão recebendo o Atlético Paranaense e o Papão devendo receber o Águia Negra/MS, caso não o elimine logo em Rio Brilhante, na próxima quarta-feira.

Fair play trabalhista, o aceno de um fantasma

Nas Séries A, B e C, atraso de 30 dias no salário já permite ao atleta denunciar o clube ao STJD. E a partir da notificação, o clube ganha prazo de 15 dias para quitação ou vai a julgamento, podendo perder três pontos por cada partida durante o descumprimento do dever. Isso é fair play trabalhista, que vai funcionar durante as competições. Edeverá ser igualmente aprovado na Série D.

Em clubes com histórico de maus pagadores, o fair play trabalhista, conquistado pelo Bom Senso FC (movimento dos atletas profissionais do país) é um fantasma que já tira o sono dos dirigentes. Na relação dos clubes com os atletas, o fair play trabalhista deve significar um ajuste de mercado, com os clubes só assumindo compromissos que possam honrar, e os atletas adequando suas exigências à capacidade financeira dos clubes. Seria o fim do “faz de conta”, que gera contas na Justiça do Trabalho. 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!