27 de fevereiro, 2015 - Belém

Semifinal, a glória dos rejeitados


Foto: Akira Onuma

Semifinal, a glória dos rejeitados

Paulo Rafael (Parauapebas), Vanderson (Cametá), Lecheva e Rubran (Independente), Jader, Thiago Costa e Moisés (Tapajós) são profissionais que, vendo-se sem espaço no Paysandu e no Remo, aceitaram emprego no interior e curtem mais do que ninguém a entrada na semifinal do turno, enquanto Papão e Leão estão eliminados.

O principal caso é do goleiro Paulo Rafael. Liberado pelo Paysandu, ele sofreu no Remo a humilhação de ser apresentado e imediatamente dispensado. Tornou-se um dos heróis do Parauapebas e dividiu com Jader, do Tapajós, as honras de melhor goleiro da fase classificatória do campeonato. Paulo Rafael, 23 anos trabalha determinado a dar a volta por cima, depois dos altos e baixos no Paysandu, e Jader, 21, com a ambição de conquistar mercado, depois de duas passagens pelo sub 20 do Remo. São atletas com longa estrada pela frente, ao contrário de Vanderson, que aos 35 anos está na reta final de uma carreira gloriosa e trata de provar no Cametá o valor que ainda tem.

Zé Teodoro, um comandante conservador

Ontem a coluna destacou o estilo moderno do comandante bicolor Dado Cavalcanti, norteado pelo uso de tecnologia. Hoje, o destaque é para o tipo conservador do azulino Zé Teodoro.

O técnico do Remo explora bem a sua vivência no futebol, principalmente para soluções alternativas. É um “cinquentão” que está na carreira de treinador há 19 anos e se especializou em gerenciamento de crises, ou um “desatador de nós”. Por isso é tão apropriado para o comando do Leão Azul. Deu prova disso quando usou de estratégias, internamente, para enfraquecer lideranças negativas e chacoalhar o elenco, após as derrotas nas duas primeiras rodadas do Parazão. Depois de desatolar o Santa Cruz, em dois anos de trabalho no clube pernambucano, tirando-o da mesma situação do Remo (aspirante à Série D), ele tem a missão de repetir a façanha em Belém. É muito positivo o fato de já ter enfrentado os muitos embaraços que encontrou no Baenão.

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!