18 de dezembro, 2014 - Belém

Remo é o 25º clube do técnico Zé Teodoro


Remo é o 25º clube do técnico Zé Teodoro

Em 18 anos de carreira como técnico, Zé Teodoro tem o Remo com 25º clube da carreira. Goiano, 51 anos, ele chega hoje a Belém e almoça com os dirigentes azulinos, na primeira das reuniões que terá nos próximos dias para tratar do planejamento do futebol remista. Uma curiosidade: Zé Teodoro trabalhou por último no ABC de Natal, onde substituiu Roberto Fernandes. Nove meses depois, ele volta a ocupar lugar deixado pelo mesmo colega, agora no Leão Azul. Zé Teodoro vem para fazer observações, obter informações, propor e encaminhar soluções. Depois, viajar para as festas de fim de ano com a família e volta no início de janeiro.

Amanhã o Remo deverá fechar a contratação do diretor executivo Gustavo Mendes, que este ano fez sucesso no Macaé. Uma das razões para o clube priorizar Gustavo Mendes está nas parcerias que ele carrega com grandes clubes, que fornecem jogadores e ainda pagam parte dos salários. Assim ele reforçou significativamente o Macaé para a campanha do acesso à Série B e do título da Série C. 

Papão, por que tanto segredo?

No mercado do futebol, compromisso verbal é algo facilmente quebrado por uma oferta financeira mais vantajosa. Gente de palavra é exceção. Por isso, cada dia mais os clubes guardam segredo em suas transações, deixando para a imprensa o papel de especular ou se bancar informações extra-oficiais. É o que está acontecendo no Paysandu, que confirma o fechamento de negócio com 9 jogadores, mas não confirma nome nenhum. O presidente Alberto Maia diz temer que alguém deixe de cumprir o compromisso assumido e o clube sofra desgastes. Por isso, informação oficial sobre contratações somente em janeiro, quando os contratos estiverem assinados. Maia diz apenas que alguns nomes explorados nos noticiários fazem sentido e outros, tidos como “contratados”, estão fora dos planos do Paysandu.

Os gols que marcaram a temporada 2014

No empate Remo 2 x 2 Nacional, pela Copa Verde, dia 9 de março, o remista Max fez o primeiro gol da Arena da Amazônia, que três meses depois receberia a Copa do Mundo. Além do histórico primeiro gol, Max fez também o segundo da suntuosa arena amazonense. Na Série C, o bicolor Bruno Veiga fez o mais belo gol do futebol paraense na temporada. Um gol de bicicleta, que deu ao Paysandu a vitória por 1 x 0, em João Pessoa , dia 8 de setembro. A partir daquele jogo, Bruno Veiga deixou de ser só mais um atacante bicolor para tornar-se xodó da torcida, como peça vital na conquista do acesso à Série B de 2015. Um mês e meio depois do golaço de Bruno Veiga na Paraíba, chegou a vez de Ruan fazer o gol mais importante do ano. Também um golaço, na vitória por 1 x 0 sobre o Tupi, em Juiz de Fora, no jogo do acesso à Série B. E no torneio de acesso ao Parazão 2015, o goleiro Paulo Wanzeler, do Bragantino, fez o gol mais dramático de 2014. No último lance do jogo, completando cobrança de escanteio, o goleiro cabeceou para a rede e deu a vitória para o time de Bragança, sobre a Tuna, por 1 x 0, dia 23 de novembro.

A temporada fica marcada também pelo gol que não aconteceu. Foi no jogo Remo 1 x 2 Brasiliense, dia 28 de setembro. Servido por Val Barreto, a menos de um metro da linha do gol, sem qualquer obstáculo, numa bola à meia altura (cerca de 80 centímetros do chão), Leandro Cearense conseguiu cabecear carimbando a trave. Uma chance absurdamente perdida. Inesquecível!  

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!